Arquivo da tag: servidores

NENHUM membro da CHAPA 2 que concorre à direção executiva participou de gestões sindicais anteriores.

Do blog da CHAPA 2:

https://oposicaounificadachapa2.wordpress.com/2015/11/13/nenhum-membro-da-chapa-2-que-concorre-a-direcao-executiva-participou-de-gestoes-sindicais-anteriores/

.

DESESPERADAMENTE, para se manter à frente da direção do sindicato,a chapa 1 está divulgando, por meio de boletins impressos e redes sociais, informações distorcidas e mentiras a respeito da CHAPA 2, de nossos integrantes e apoiadores.

pinoquioUMA DAS MENTIRAS é de que a CHAPA 2 esteve à frente da direção do sindicato por 14 anos. Vamos aos fatos:

NENHUM membro da CHAPA 2 que concorre à direção executiva participou de gestões sindicais anteriores.

Três integrantes da nossa chapa participaram de direções de sindicato, em gestões distintas. Jamais compactuaram e jamais se beneficiaram de ações ilícitas, ao contrário do que injuriosamente insinua a chapa governista. Duas destas romperam com estas direções denunciando desvios políticos e financeiros cometidos à época. Tiveram a coragem e a integridade necessárias para permanecem na luta ao lado dos trabalhadores, sem se omitir nem serem coniventes. Todas elas são pessoas idôneas e funcionárias públicas respeitadas, que sempre participaram das lutas defendendo os interesses da categoria.
Honestidade se demonstra na prática, e não por meio de acusações falsas e informações distorcidas. Não será com calúnias, difamações e injúrias que a direção governista e sua chapa 1 recuperarão o respeito da categoria.

VAMOS JUNTOS TIRAR O SINDSERV DAS MÃOS DO GOVERNO E RETOMAR PARA O CONTROLE DOS SERVIDORES PÚBLICOS!

CHAPA 2
OPOSIÇÃO UNIFICADA: ALTERNATIVA DEMOCRÁTICA
“NADA SERÁ COMO ANTES”

Sobre a greve, calúnias e necessidade de unidade na ação

Junto com outros colegas da Oposição Unificada faço parte do comando de greve, cuja criação foi proposta pela Oposição Unificada na assembleia do dia 07 de maio.

Infelizmente, na tentativa de desmobilizar os trabalhadores, antecipar de um modo muito sujo um debate de eleição para a direção do sindicato e claramente tentando fragilizar a Oposição Unificada, algumas pessoas, geralmente escondidas atrás de perfis falsos, estão publicando afirmações caluniosas contra a minha pessoa em específico.

Uma dessas calúnias diz respeito ao meu posicionamento em relação à greve dos servidores de São Bernardo do Campo, cuja proposta foi debatida e aprovada na assembleia do dia 07/05.

Assim que tiver um tempo vou publicar a transcrição de minha fala na assembleia (se possível publico o áudio também) para deixar claro que, em nome da Oposição Unificada, durante a assembleia fiz a defesa da greve, mas discordando da forma proposta pela direção, apresentamos ações complementares para a construção de uma grande greve dos servidores.

Chamamos a atenção para o fato de o vídeo publicado pela direção do sindicato mostrar apenas o momento da votação. Apresentado assim de forma fragmentada e sem contexto, induz a uma falsa interpretação do posicionamento da Oposição Unificada – posicionamento este representado pela minha fala.

Acontece que a proposta de construção de greve apresentada pela Oposição Unificada não foi colocada em votação (aprofundaremos o debate crítico sobre isto somente após a campanha salarial).

Portanto, esclarecemos: votamos (e não foram meia dúzia de pessoas, foram muitíssimo mais) contra o encaminhamento proposto pela direção, e não contra a greve em si.

Não seria estranho nós propormos a constituição de um comando de greve e ao mesmo tempo falar contra a realização da greve?

Diante de afirmações estranhas e que não condizem com a minha postura, peço a gentileza aos meus amigos e colegas que:

1. Sempre que lerem comentários que atribuam a mim atitudes não condizentes com as minhas práticas (que sempre foram em defesa dos interesses coletivos dos trabalhadores) duvidem. Desconfiem principalmente quando se trata de perfil falso. Caluniadores geralmente se escondem por trás do anonimato numa tentativa de não serem responsabilizados pelos crimes que cometem.

2. Façam um Print Screen e me repassem para que possamos responder às dúvidas e, em casos de calúnias e difamações, criar materialidade para fazer com que as pessoas que estão propagando calúnias e difamações respondam por seus atos.

3. Calúnia, injúria e difamação são crimes. Por isso, não compartilhem nem curtam posts que façam ataques pessoais e que claramente intencionam depreciar a imagem pessoal e atentar contra a moral e a honra alheia. Divergências de opiniões fazem parte da pluralidade humana; o debate e a crítica são necessários ao processo democrático e contribuem para a evolução dos pensamentos quando expostos de forma honesta e argumentativa, sem ofensas pessoais.

4. Na medida do possível, ajudem a desconstruir as calúnias, contestem, rebatam, coloquem em dúvida afirmações que vocês sabem que não condizem com a minha prática.

6. Por fim, compartilhem este post, para que possamos esclarecer a todos.

***

O discurso de ódio, as ofensas pessoais, as injúrias e as calúnias, além de atentar contra a dignidade e a honra alheia, prejudicam a organização dos trabalhadores e só interessam ao governo e àqueles que fazem de tudo pela manutenção de seus egos e privilégios

O momento agora é de unidade na ação. Independente das discordâncias em relação à estratégia de construção da greve (e não em relação à greve) e ainda que nossa proposta foi prejudicada ao não ser colocada em votação, a assembleia é soberana e sua decisão precisa ser respeitada e defendida por todos os trabalhadores – mesmo aqueles que se manifestaram contrários à greve e também aqueles que não foram à assembleia.

 Acatar, defender e construir com o máximo empenho as propostas aprovadas em assembleia é obrigação de todos os trabalhadores e trabalhadoras. Por isso, a Oposição Unificada, mantendo seu posicionamento crítico em relação à direção sindical, contribuirá com a construção e consolidação da greve geral, que deve persistir até que o governo negocie a reposição e o pagamento dos dias parados e acate as reivindicações da campanha salarial.