Arquivo da tag: pós-modernismo

Sobre o idealismo “pós-moderno”, o materialismo determinista e a crítica radical de Marx e Engels

NOTA DA PEDRA LASCADA: Diz a sabedoria popular (que mais sábia não há): meia verdade é sempre uma mentira inteira. Em tempos de relativização de verdades, de “pós-verdades” (que são igualmente mais novas e velhas mentiras), de distorções de fatos e reinvenção da História ao sabor do próprio capricho, o artigo que aqui segue é de leitura imprescindível para quem tem disposição de tirar as vendas dos olhos. Em tempo: procurando no Google imagens para este post,  ao digitar “pós-modernismo” apareceu, entre infinitas figuras, a imagem de uma zebra colorida; penso que imagem melhor não há que represente este mal-fadado conceito: nunca se sabe ao certo se a zebra é um anima branco com listras pretas, ou preto com listras brancas, mas continua sendo uma zebra; o pós-modernismo é isso – uma zebra colorida que encanta milhares de distraídos até de boa-vontade e que, ao final das contas, deu e sempre dará… zebra!  [M.S.]
 .
 .
Na atualidade tornou-se comum a alegação de que a verdade não existe, o que existiria seriam apenas interpretações, pontos de vista particulares (saberes), todos igualmente válidos.E que qualquer tentativa de conhecer a verdade não passaria de pura arrogância e pretensão daqueles que buscam ingenuamente aprisionar a complexidade de nossa existência dentro de limites autoritariamente impostos por uma abordagem determinista qualquer.

Continuar lendo Sobre o idealismo “pós-moderno”, o materialismo determinista e a crítica radical de Marx e Engels

Análise crítica: “Reflexões Sobre o Multiculturalismo na Escola e na Formação Docente”, de Canen & Moreira – Parte 4

Evidentemente, as classes sociais não se constituem de um todo homogêneo com sujeitos cujos interesses e princípios são os mesmos ou sequer similares, e nesse sentido há que se valer dos estudos culturais para compreender as ações, pensamentos e construções identitárias dos grupos no interior das classes. Nesse sentido, podem ser muito úteis e pertinentes as contribuições de Canen e Moreira quando defendem, por exemplo, que “às situações de violência real devem-se acrescentar os efeitos da violência simbólica decorrentes do processo de globalização excludente que, ao procurar homogeneizar manifestações culturais, termina por anular vozes e experiências dos grupos oprimidos”. Continuar lendo Análise crítica: “Reflexões Sobre o Multiculturalismo na Escola e na Formação Docente”, de Canen & Moreira – Parte 4

Análise crítica: “Reflexões Sobre o Multiculturaismo na Escola e na Formação Docente”, de Canen & Moreira – Parte 3

Algumas considerações (in) pertinentes: pensamento neoliberal e discurso pós-moderno

A preocupação com a pluralidade cultural, com o respeito e valorização dos grupos culturais e étnicos é fundamental para a construção de uma sociedade democrática. O diálogo, neste sentido, assim como propõem Conem e Moreira, deve ser o princípio básico, a essência de uma educação voltada para a transformação social. O “monopólio do diálogo”, a hegemonia da fala e do poder político, representado e concomitantemente perpetuado pela concentração do poderio econômico nas mãos de uns poucos ainda são entraves grandiosos para a superação da segregação social e discriminação cultural em nossa sociedade. Talvez por isso mesmo é que Paulo Freire nos alerta para a impossibilidade de um verdadeiro diálogo entre os sujeitos da classe oprimida e os sujeitos da classe dominante. O diálogo, define Paulo Freire (1986: 123) “é o momento em que os humanos se encontram para refletir sobre sua realidade tal como fazem e re-fazem(…)“. Através do diálogo, refletindo juntos sobre o que sabemos e não sabemos, podemos, a seguir, atuar criticamente para transformar a realidade. Continuar lendo Análise crítica: “Reflexões Sobre o Multiculturaismo na Escola e na Formação Docente”, de Canen & Moreira – Parte 3

Análise crítica: “Reflexões Sobre o Multiculturalismo na Escola e na Formação Docente, de Canen & Moreira – Parte 2

Ainda que se valendo de categorias questionáveis como pós-modernismo – ideologia especifica do neoliberalismo (CHAUÍ apud FRIGOTTO, 1995: 79), no campo da esquerda –  e de uma suposta superação do conceito marxista de cultura, Canen e Moreira não negam o papel dos conflitos e das relações de poder no seio da sociedade, ao contrário, os realçam, afinal, não pode haver “educação multicultural separada dos contextos das lutas de grupos culturalmente dominados, que buscam modificar, por meio de suas ações, a lógica pela qual, na sociedade, os significados são atribuídos.” Aliás, para eles, “a educação multicultural não é uma concessão, mas sim o resultado de lutas iniciadas no âmbito de movimentos sociais e populares visando a uma participação mais igualitária na vida social e cultural”. Continuar lendo Análise crítica: “Reflexões Sobre o Multiculturalismo na Escola e na Formação Docente, de Canen & Moreira – Parte 2

Análise crítica: “Reflexões Sobre o Multiculturalismo na Escola e na Formação Docente”, de Canen & Moreira – Parte 1

NOTA DA PEDRA LASCADA:  A resenha que seguirá aqui em quatro partes foi escrita em 2005 como um trabalho de análise crítica para a disciplina Formação de Equipe Escolar, do curso de Pedagogia do Centro Universitário Fundação Santo André. Reencontrei-a em meio a arquivos que estava reorganizando e resolvi compartilhar, pois resgata uma polêmica que mantenho com o conceito de pós-modernismo – polêmica esta que inspirou, por ironia proposital, o anacrônico nome deste Blog – Pedra Lascada. Autorizo a reprodução total ou parcial do mesmo para fins não comerciais, desde que devidamente citada a fonte e a autoria. [M.S.] Continuar lendo Análise crítica: “Reflexões Sobre o Multiculturalismo na Escola e na Formação Docente”, de Canen & Moreira – Parte 1