Arquivo da tag: oposição unificada

Sobre as eleições do Sindserv SBC

Há exatamente um ano iniciou-se essa batalha que se tornou uma jornada estressante e por muitas vezes dolorosa.

Vejo pessoas dizerem que estão cansadas, e me pergunto se nós, que estamos na linha de frente desta luta, também não temos o direito de nos cansar, de jogar a toalha como alguns dizem querer jogar.  Continuar lendo Sobre as eleições do Sindserv SBC

Não se deixe enganar! Saiba a verdade sobre a 2240

Durante sua campanha, a chapa um divulgou ter ganhado na justiça ação a respeito da Lei 2240, que trata da progressão dos funcionários. Lamentavelmente, como tem sido de costume, a propaganda feita pela chapa governista induz os funcionários a acreditarem em inverdades. Vamos aos fatos! Continuar lendo Não se deixe enganar! Saiba a verdade sobre a 2240

Terceira eleição do Sindserv: Desta vez é pra valer!!!

2015-09-13 09.03.15A nova eleição do Sindserv finalmente está sendo coordenada, fiscalizada e arbitrada pelo MINISTÉRIO PUBLICO DO TRABALHO que atendeu solicitações da CHAPA 2 e mediou a efetivação de um acordo que desta vez garante condições minimamente democráticas, de lisura e transparência no processo eleitoral. O objetivo é impedir ao máximo as trapassas, golpes e fraudes das eleições anteriores.

A Justiça está fazendo a parte dela; a CHAPA 2 também, apresentando propostas coerentes e candidatos combativos, comprometidos com os direitos da categoria e provados nas diversas lutas do funcionalismo de SBC. Continuar lendo Terceira eleição do Sindserv: Desta vez é pra valer!!!

A todos os servidores, especialmente os aposentados

Às servidoras e servidores públicos aposentados de São Bernardo do Campo

     Nós servidores e servidoras da ativa e aposentados dos mais diversos setores que compomos a CHAPA 2 para as eleições do Sindserv, gostaríamos de dialogar com você, aposentada e aposentado do serviço público de são Bernardo do Campo.

     A atual gestão do SINDSERV composta pela CUT e apoiada pelo prefeito de São Bernardo do Campo está fazendo da eleição do sindicato um momento de disputa desleal, desrespeitando a decisão dos trabalhadores e fomentando mentiras e calúnias contra a CHAPA 2 (uma dessas mentiras é a de que a CHAPA 2 teria dirigido o sindicato por 14 anos).
     A eleição já aconteceu e a chapa 1 perdeu, apesar de ter todo o processo eleitoral sob o seu exclusivo controle. Perdeu porque a categoria está cansada de ser maltratada pelo governo e por aqueles que dizem lutar por nossos interesses, mas lutam pelos interesses do governo e de seu partido político, o PT. Após ser derrotada pela categoria nas urnas e reconhecer publicamente a nossa vitória, segundo matéria do Diário do Grande ABC a direção sindicato teria sido incitada pelo governo a dar um jeito para chamar nova eleição.
     Essa direção, que deu um golpe na eleição do sindicato, fez com que a greve histórica do funcionalismo tivesse um desfecho trágico, pois a negociação realizada trouxe grandes prejuízos aos servidores públicos: ficamos sem aumento real e sem reposição da inflação em 2015, nenhum item da pauta de reivindicação foi atendido, e cerca de 200 aposentados foram excluídos do acordo coletivo. 
     Para nós, servidores que aderimos à greve, a péssima negociação feita pela direção acarretou em descontos e faltas – descontos que, na maioria dos casos, foram maiores do que o abono recebido; e faltas que se mantiveram, mesmo após a compensação dos dias parados!
     Não bastasse tudo isso, o convênio médico está de mal a pior e quem mais precisa de assistência sofre com a falta de médicos, descredenciamento de hospitais, lentidão no agendamento de consultas e exames, atrasos e até mesmo negação nas autorizações de cirurgias e tratamentos médicos.
     Desde o ano passado, servidores públicos aposentados e não aposentados se reuniram em um grupo denominadoUSUÁRIOS DO IMASF para cobrar melhorias no atendimento, lutar contra a falência do nosso plano de saúde, pelo recredenciamento de hospitais e contra o aumento abusivo nas mensalidades. Integrantes da CHAPA 2 participam ativamente deste grupo.
     Lamentavelmente, a direção do sindicato se recusou a participar desta luta e, diante dessa omissão, o governo impôs um projeto de reestruturação do IMASF com criação de mais cargos comissionados com altos salários e que na prática não apresentou nenhuma melhoria na assistência médica. Isso tudo após o abusivo aumento da mensalidade em quase 14%!
 

Queremos um SINDSERV a serviço de todos os servidores

     Reconhecemos a importância de quem dedicou toda a sua vida a servir bem à população de nossa cidade e por isso estranhamos demais que ainda não exista no sindicato nenhuma secretaria específica para tratar das questões dos aposentados.

     Precisamos de um sindicato que atue em defesa dos direitos e pela valorização dos aposentados; que faça sim festas, churrascos, passeios e parcerias, mas que não exclua nenhum trabalhador dos acordos coletivos e não deixe de lutar para que os servidores públicos tenham assistência médica decente, reajustes salariais e reposições das perdas inflacionárias.
     Recentemente, a direção do sindicato e sua chapa 1 afirmaram que a CHAPA 2 não respeita aposentados, que seríamos contra festas, passeios e atividades culturais. Segundo relatos de alguns servidores, teriam dito que a CHAPA 2 acabaria com programas habitacionais, que são do governo federal (!).
     Diante destas afirmações injuriosas, esclarecemos: a CHAPA 2 NÃO É CONTRA a organização de festas e outras atividades de integração, nem tem posicionamento contrário a projetos habitacionais ou outros programas sociais.
     O que somos contra é com o abuso da boa-fé das pessoas para angariar votos.
    Assim como causa profunda indignação os casos de corrupção envolvendo a Petrobrás, porque não é correto que recursos de empresa pública sejam usados para bancar campanhas partidárias, também não é correto que material de campanha seja entregue ao mesmo tempo com convites para festas do sindicato, nem que atividades do sindicato sejam utilizadas para propaganda da chapa que dirige o sindicato. 
     Compreendemos que o papel de uma direção de sindicato precisa ser o de fomentar o espírito de unidade, solidariedade, cooperação e respeito entre os trabalhadores, e não jogar servidor contra servidor como tem feito a chapa 1 quando mente e calunia a nosso respeito.  
     Por isso chamamos você, servidor e servidora aposentado e aposentada, a ir até o sindicato nos dias 26 e 27 de novembro e votar na CHAPA 2 para construirmos juntos um sindicato de fato sob o controle dos servidores públicos. Um Sindserv de todos e para todos!

     E também pedimos seu voto na eleição do IMASF para a CHAPA USUÁRIOS DO IMASF.

*

**
Acesse o blog da CHAPA 2 – OPOSIÇÃO UNIFICADA:

NENHUM membro da CHAPA 2 que concorre à direção executiva participou de gestões sindicais anteriores.

Do blog da CHAPA 2:

https://oposicaounificadachapa2.wordpress.com/2015/11/13/nenhum-membro-da-chapa-2-que-concorre-a-direcao-executiva-participou-de-gestoes-sindicais-anteriores/

.

DESESPERADAMENTE, para se manter à frente da direção do sindicato,a chapa 1 está divulgando, por meio de boletins impressos e redes sociais, informações distorcidas e mentiras a respeito da CHAPA 2, de nossos integrantes e apoiadores.

pinoquioUMA DAS MENTIRAS é de que a CHAPA 2 esteve à frente da direção do sindicato por 14 anos. Vamos aos fatos:

NENHUM membro da CHAPA 2 que concorre à direção executiva participou de gestões sindicais anteriores.

Três integrantes da nossa chapa participaram de direções de sindicato, em gestões distintas. Jamais compactuaram e jamais se beneficiaram de ações ilícitas, ao contrário do que injuriosamente insinua a chapa governista. Duas destas romperam com estas direções denunciando desvios políticos e financeiros cometidos à época. Tiveram a coragem e a integridade necessárias para permanecem na luta ao lado dos trabalhadores, sem se omitir nem serem coniventes. Todas elas são pessoas idôneas e funcionárias públicas respeitadas, que sempre participaram das lutas defendendo os interesses da categoria.
Honestidade se demonstra na prática, e não por meio de acusações falsas e informações distorcidas. Não será com calúnias, difamações e injúrias que a direção governista e sua chapa 1 recuperarão o respeito da categoria.

VAMOS JUNTOS TIRAR O SINDSERV DAS MÃOS DO GOVERNO E RETOMAR PARA O CONTROLE DOS SERVIDORES PÚBLICOS!

CHAPA 2
OPOSIÇÃO UNIFICADA: ALTERNATIVA DEMOCRÁTICA
“NADA SERÁ COMO ANTES”

CHAPA 2 ENTRA COM RECURSOS PARA GARANTIR DEMOCRACIA, LISURA E TRANSPARÊNCIA NAS ELEIÇÕES DO SINDICATO

CONHEÇA AS AÇÕES QUE A CHAPA 2 TEM FEITO DESDE A PRIMEIRA VOTAÇÃO PARA GARANTIR UM PROCESSO ELEITORAL LIMPO, COM LISURA, TRANSPARÊNCIA E DEMOCRACIA.
No dia 17 de novembro haverá audiência para julgamento da liminar que a CHAPA 2 impetrou contra o golpe que a direção do Sindserv e sua chapa deram nos trabalhadores. Enquanto corre o processo, a CHAPA 2, considerando a revindicação da categoria, decidiu se inscrever e participar das novas eleições, até mesmo porque infelizmente no Brasil a Justiça nem sempre é justa, muito embora estejamos confiantes de que a justiça será feita, face aos absurdos e às arbitrariedades cometidas contra a decisão legítima dos servidores que deram a vitória à CHAPA 2.
Assim como no primeiro pleito, continuamos exigindo da direção do Sindserv, da comissão eleitoral e do coordenadorgeral  da eleição (que não coincidentemente é ao mesmo tempo o presidente do sindicato e candidato à reeleião pela chapa governista)democracia, transarência e lisura no processo eleitoral): democracia, lisura e transparência no processo eleitoral.
Por isso, já na primeira reunião da Comissão Eleitoral a CHAPA 2 protocolou uma série de reivindicações que seguem na íntegra baixo.
Transparência, democracia e lisura se fazem em práticas concretas, e não com discursos vazios!
.
LISTA DE SÓCIOS
 
Democracia em eleição se faz com a garantia de condições de igualdade para a realização da campanha, e com transparência de informações. A chapa governista tem acesso privilegiado à listagem de sócios por local de trabalho. Na primeira eleição essa informação nos foi recusada, apesar da recomendação do Ministério Público do Trabalho de que a mesma condição fosse garantida à CHAPA 2.
Publicamente, sugerimos que a listagem seja disponibilizada online para que todos os funcionários públicos possam verificar, garantindo-se transparência em relação a quem, sendo sócio, está apto a votar.
***
Para continuar lendo este texto, acesse:
ou então:

Como se construiu o golpe da direção do sindicato e sua chapa 1 contra os trabalhadores – Parte 3

Do blog da OPOSIÇÃO UNFICADA – CHAPA 2: http://oposicaounificadasbc.blogspot.com.br/

*

Nas duas primeiras partes deste elucidativo artigo, comprovamos que:

a) A Comissão Eleitoral indicada pela chapa governista não era neutra, pois foi composta integralmente por pessoas indicadas pela chapa governista, agindo conforme os interesses de quem a indicou;
b) A Comissão Eleitoral inicialmente recusava-se a registrar em ata as observações e protestos feitos pela representante da CHAPA 2. Desta forma, na maioria das atas registrava-se unicamente o que interessava à chapa que havia indicado a Comissão Eleitoral. Esta situação só começou a mudar – e não mudou completamente – após mediação do Ministério Púbico do Trabalho;
c) O processo eleitoral em curso – e agora reeditado – não foi democrático, posto que foi controlado, conduzido e coordenado por pessoas ligadas à chapa derrotada na eleição, o que torna impossível haver qualquer possibilidade de cometimento de irregularidades pela CHAPA 2, muito menos em nosso benefício.
Vimos também que, enquanto tinham a certeza da vitória e pouco depois no fim da apuração, tanto a Comissão Eleitoral indicada pela chapa 1, como a própria chapa 1 por meio de sua representante, o presidente do Sindserv SBC (candidato à reeleição e ao mesmo tempo coordenador geral do processo eleitoral), o presidente da apuração, os mesários e presidentes de mesa – todos eles vinculados à atual diretoria do sindicato – atestaram a lisura do processo eleitoral e reconheceram a legitimidade da vitória da CHAPA 2.
Encerramos o artigo anterior com as seguintes perguntas:
a) Se o processo de coleta de votos transcorreu em “rigorosa obediência” ao Estatuto do Sindicato conforme atestaram, se as únicas ocorrências registradas (e registradas pela CHAPA 2!) diziam respeito ao não cumprimento de horários e dos roteiros previstos, como pode posteriormente a chapa derrotada e seu presidente-candidato-à-reeleição alegar, juntamente com sua Comissão Eleitoral, irregularidades num processo eleitoral absolutamente coordenado, conduzido e controlado por eles mesmos?
*
A este respeito, vejamos o que diz matéria publicada em 21 de outubro no Diário do Grande ABC:
*
b) Mas, então, como se produziu a suposta fraude que até a apuração simplesmente não existia?
De uma coisa nós, da OPOSIÇÃO UNIFICADA, sabemos – e a categoria não tem dúvida: se houve irregularidades elas não foram cometidas pela CHAPA 2. Até mesmo porque todo o controle da eleição e a guarda da documentação eleitoral estiveram sob o domínio da chapa governista…
*
1. Após a apuração dos votos e lavrada a ata que legitimou a vitória da CHAPA 2, toda a documentação eleitoral ficou sob a guarda da Comissão Eleitoral, no sindicato (em uma sala cujo acesso não estava devidamente lacrado). A comissão eleitoral indicada pela chapa 1 permitiu que Nilton Ferreira, membro da direção atual e da chapa derrotada, olhasse as listas de votação sem a presença de toda a comissão eleitoral e sem o conhecimento prévio da representante da Oposição Unificada, que só foi convocada quando já havia sido violado o material eleitoral.
*
Observe que apesar de usar o artigo 129 como justificativa para atender solicitação de vistas à documentação eleitoral, a Comissão Eleitoral procedeu de forma arbitrária extrapolando suas atribuições, pois não há previsão estatutária nem em relação à vistas posteriores nem em relação à “diligências”. O artigo 129 trata da interposição de recursos, cujos “documentos de prova” devem ser anexados ao recurso inteposto, no ato da entrega, e não posteriormente.
*
2. Não é verdade que a representante da CHAPA 2 concordou com o factoide armado pela chapa 1. Sempre que esteve nas reuniões, nossa representante protestou e deixou claro os nossos posicionamentos, como mostra esse trecho da ata do dia 2 de outubro.
*
*
  1. O golpe é escancarado: mesmo reconhecendo ser “IMPOSSÍVEL constatar a exatidão de todas ocorrências”, a Comissão Eleitoral decide anular a eleição. De todas as ligações realizadas, alega que 14 eleitores disseram que não votaram – somente 6 compareceram e não reconheceram as assinaturas. A conferência dos 3 nomes abaixo e 3 nomes acima não foi efetivamente realizada, impossibilitando confirmar a suposta fraude (se bem que a documentação eleitoral estava viciada por conta de sua violação e manipulação). Não se constatou falsificação de assinaturas, apenas que haviam algumas assinaturas em local diverso (se a pessoa assinou em local indevido, isso ocorreu sob anuência do coordenador de mesa – indicado pela comissão eleitoral – que como vimos não apontou nenhuma ocorrência na coleta de votos e assinaturas). Beneficiando a chapa 1 que a indicou, a Comissão Eleitoral anulou a eleição sem comprovar a exatidão das ocorrências e sem indicar quem seriam os eventuais autores da suposta fraude que teria ocorrido num processo sob seu exclusivo controle.
*
*
  1. Chegando ao fim desta etapa, e comprovando a verdade dos fatos por meio da ampla e concreta apresentação de documentos, fica claro o porquê chamamos de golpe as ações autoritárias e antissindicais praticadas pela direção do sindicato, sua chapa e sua comissão eleitoral, golpe este levado a cabo com a anulação da eleição legítima da CHAPA 2.

A CHAPA 2 – OPOSIÇÃO UNIFICADA entrou com processo no judiciário para tentar derrubar o golpe e garantir o respeito à decisão democrática dos trabalhadores.

Os trabalhadores, por sua vez, fartos das manobras e dos prejudiciais acordos de gabinete da direção sindical com o governo, demonstram cada vez mais apoio à CHAPA 2 e rechaçam as mentiras e calúnias produzidas pela chapa do Marinho.

Exigindo respeito ao processo eleitoral e reiterando a legitimidade da vitória da CHAPA 2, MAIS DE 3 MIL SERVIDORES PÚBLICOS ASSINARAM O ABAIXO-ASSINADO EM NOSSO APOIO!!!

A ampla mobilização dos trabalhadores garantiu que, desta vez, 02 servidores públicos independentes da influência da chapa marinheira fossem eleitos para a Comissão Eleitoral. E teríamos eleito a maioria, não fossem as manobras realizadas pela direção do sindicato na última assembleia.

Agora, com a força e a unidade da categoria, com o apoio de sindicatos e de centrais sindicais combativas e independentes de governos,  vamos novamente trabalhar para derrotar nas urnas nos dias 26 e 27 de novembro, mais uma vez e tantas quantas for necessário, a chapa aliada do prefeito e as centrais sindicais pelegas e governistas!

Por um Sindserv indepente de governos, partidos e centrais sindicais pelegas e governistas!!!

 

 

OPOSIÇÃO UNIFICADA: ALTERNATIVA DEMOCRÁTICA.

NADA SERÁ COMO ANTES! 

*

Para quem não leu os artigos anteiores:

Parte 1:

http://oposicaounificadasbc.blogspot.com.br/2015/10/como-se-construiu-o-golpe-da-direcao-do.html

Parte 2:

http://oposicaounificadasbc.blogspot.com.br/2015/11/como-se-construiu-o-golpe-da-direcao-do.html

*

Veja o vídeo em que o presidente do Sindserv reconhece a legitimidade da vitória da CHAPA 2:

https://pedralascada.org/2015/10/07/carta-aberta-aos-membros-da-chapa-1-seus-apoiadores-e-simpatizantes/

*

Para entender que o golpe em SBC não é um caso isolado e faz parte de uma política da CUT:

http://cspconlutas.org.br/2015/11/secretaria-executiva-nacional-da-csp-conlutas-aprova-campanha-contra-golpismo-da-cut-em-eleicoes-sindicais/

Como se construiu o golpe da direção do sindicato e sua chapa 1 contra os trabalhadores – Parte 1

Do Blog da Oposição Unificada

http://oposicaounificadasbc.blogspot.com.br/

*

PARTE 1 – A FALSA NEUTRALIDADE E A FARSA DA DEMOCRACIA NA COMISSÃO ELEITORAL

  1. A Comissão Eleitoral não era “neutra”: foi toda indicada pela chapa 1.O trecho acima refere-se à assembleia de eleição da Comissão Eleitoral, do dia 19 de agosto. Nesta assembleia, buscando garantir democracia na condução do processo eleitoral, a CHAPA 2 propôs composição proporcional na Comissão Eleitoral. A Representante da CHAPA 1 e atual Secretária Geral do Sindserv propôs voto em bloco, o que levou à constituição da Comissão Eleitoral somente com indicados da CHAPA 1.

Ata de reunião no Ministério Público do Trabalho_1

2. Não foi concedida para a representante da CHAPA 2 a lista de presença da assembleia de eleição da Comissão Eleitoral. Com havia no recinto da assembleia pessoas estranhas à categoria, queríamos verificar se todos os presentes cumpriam o requisito para participação na assembleia. Por que será que não nos deram nem vistas à lista? Quem não deve não teme!

Ata de reunião no Ministério Público do Trabalho_3

.

3.A direção do sindicato e sua chapa tentam enganar a categoria quando sugerem que as decisões da Comissão Eleitoral teriam contado com a aprovação de nossa representante, e omitem que a CHAPA 2 sempre manifestou suas discordâncias de todos os atos e procedimentos considerados arbitrários e ilegais, solicitando o registro em ata, porém nem sempre sendo atendida. A verdade é que a representante da CHAPA 2 não possuía poder de decisão na Comissão Eleitoral. Pior que isso, as manifestações da CHAPA 2 junto à Comissão Eleitoral eram censuradas nas atas.

Ata de reunião no Ministério Público do Trabalho_2

Sobre as mentiras que eles contam (e as verdades que tentam esconder)

2015-09-19 17.52.45Não sou obrigado. Sou?

Meu perfil no face é privado, embora meus compartilhamentos sejam públicos, pois sou responsável por aquilo que escrevo.

O perfil do Sindserv é de caráter público, e mesmo sendo sócio há mais de 16 anos, permaneço bloqueado para comentar nele, sendo impossibilitado de responder aos costumeiros achincalhes que os marinheiros reproduzem.

Certa pessoa, que estava na minha lista, se queixou que a bloqueei, no entanto também já no perfil dela bem antes eu estava bloqueado para fazer comentários e me defender das suas difamações.

Outro cidadão, que gosta de posar de bom moço, mas nada tem de moço nem muito menos de bom, estes dias ficou indignado porque respondi em um grupo fechado do face a algumas calúnias que ele insistia em reproduzir – a indignação dele era de que eu, por não pertencer ao seu segmento, teria ferido as regras do grupo (!). Este mesmo cidadão se manifestou publicamente chocado com uma matéria tendenciosa publicada por uma mídia reconhecidamente ligada à CUT, mas sequer esboçou a mesma “indignação” quanto aos aposentados serem agredidos verbalmente por capangas do governo, que costumam ser contratados também pela direção do sindicato em atos e assembleias para tentar intimidar os servidores. Aliás, o cidadão não mostrou a mesma indignação com a agressão sofrida por todos os servidores com a imposição do projeto marinheiro que acabou com o IMASF.

A chapa governista, que mudou o estatuto do sindicato na calada da noite e recolheu assinaturas até de quem não era filiado, proibiu filiados de participarem da assembleia da comissão eleitoral; essa mesma chapa, que acusa a oposição de ter apoio de pessoas que defenderam a proposta do governo para o estatuto da educação, omite que sua chapa é integrada por lideranças que estiveram na linha de frente da defesa do projeto marinheiro colhendo assinaturas de um abaixo assinado de forma assediosa para fazer impor a vontade do governo… A chapa em questão, que dirige o sindicato, fomentou e fomenta a divisão entre os servidores, favorecendo assim os golpes do governo contra os trabalhadores.

Diante de calúnias reproduzidas em redes sociais e panfletos escritos, quando questiono as pessoas cujas fotos estão no panfleto se elas concordam com as calúnias, uma vez que as subscrevem ainda que indiretamente como apoiadoras, elas ficam indignadas com a minha pergunta e exigem respeito.

E nós é que somos sectários?

Não vou ficar respondendo calúnias para não dar mais ibope ao jogo sujo da chapa marinheira , mas não sou obrigado a manter na minha timeline nem nos grupos que administro no WhatsApp comentários e pessoas que ferem a dignidade pessoal de ninguém, muito menos a minha.

Aceito o debate crítico, mas não ficarei inerte diante de condutas de moral duvidosa.

E continuo na certeza de que seja qual for o resultado da votação da eleição do Sindserv, a Oposição Unificada é uma grande vitoriosa pois não se deixou abater nem entrou no jogo sujo da calúnia e de práticas antissindicais.

CHAPA 2 – OPOSIÇÃO UNIFICADA: porque um sindicato plural e democrático se constrói na conduta ética,sem fugir ao debate crítico e sempre mantendo o respeito mesmo com aqueles com quem divergimos.