Arquivo da tag: golpe

Denúncia! Privilégios do governo para a chapa um

Na sexta-feira, tivemos informações extraoficiais de que os membros da CHAPA 1 ESTARIAM LIBERADOS PELO GOVERNO para fazer campanha nesta segunda e terça-feira, 15 e 16 de agosto. Aguardamos até a data de hoje para verificar a veracidade da informação, haja vista que O MESMO DIREITO NÃO FOI GARANTIDO À CHAPA 2.

Conforme apurado, a liberação dos membros da chapa 1 de fato ocorreu, mediante ofício expedido em nome do Sindserv. O mais grave é que apesar da eleição encerrar na quinta-feira, a liberação foi concedida até a sexta-feira. Continuar lendo Denúncia! Privilégios do governo para a chapa um

Sobre golpes e sabotagens

Por CláuClaudio Lizias Sriubasdio Lizias Sriubas –  Professor e integrante da CHAPA 2 – OPOSIÇÃO UNIFICADA

Nesta terra em se plantando tudo dá” . – Pero Vaz de Caminha sabia das coisas!…

A Oposição Unificada não foi criada apenas para participar de um pleito eleitoral, ela constituiu-se  por uma necessidade de luta, e ao longo dos últimos anos vem lutando como oposição à corruptibilidade e em defesa do interesse do Servidor Público do Município de São Bernardo do Campo. Tem plantado esperança e quer colher realizações.

Pergunto: o que tem plantado a atual diretoria do SINDSERV? Perdão! Quero dizer: Chapa Um? … … Calma, isto que você pensou durante as reticencias é pura verdade, mas não é legal declarar aqui. Baixar o nível ou detrair não é nossa especialidade.

Mas por falar em sonhos… Que pesadelo, hem! …. Ou melhor, mais um pesadelo. Este começa com: Era uma vez… Engana bem, parece um conto de fadas, tem até magia, veja só que emocionante, do nada… Repentinamente dá entre as folhas da listagem de votação uma fraude…

A meu ver é um erro chamar de fraude… acho que a terminologia correta é sabotagem, eu explico:

Fraude ocorre durante o processo… e veja só que interessante, o pleito foi finalizado com a checagem das listas de votação e contagem dos votos, na presença da comissão eleitoral, Coordenador do Processo Eleitoral, Chapa Um, Chapa Dois, fiscais, mesários, apoiadores e advogados das partes. Nada… Absolutamente nada foi notado de irregular que pudesse comprometer o seu voto, tudo devidamente filmado (será que a comissão eleitoral e o coordenador do processo eleitoral esqueceram de olhar as filmagens? Pode ter sido ingenuidade? … o quê? …. Você não chama isso de ingenuidade? … do que você chama então? … isto que você chamou não da para grafar aqui não! É muito imoral… vamos ficar com ingenuidade)…

Bom voltemos ao fato, na semana depois de encerrado o processo (que legitimamente elegeu os integrantes da Chapa Dois como representante dos Funcionários Públicos do Município de São Bernardo do Campo), os documentos que estavam guardados pela Chapa Um…. Desculpe, cometi um equívoco, estavam na tutela da atual diretoria do SINDSERV e comissão eleitoral… O equívoco é natural visto que a maioria dos integrantes da atual diretoria também compõe a Chapa Um e o Coordenador do Processo Eleitoral é candidato a presidente da diretoria pela Chapa Um… A gente acaba se equivocando… Bom, a verdade é que após nova averiguação a estes documentos, milagrosamente brotou uma “fraude”.

Como aconteceu depois do encerramento do processo, eu pergunto: é fraude ou sabotagem?…

Não é nítido e perceptível o que esta “fraude” quer dizer a você que votou… Era uma vez sua vontade … É ou não é um conto de terror?…

Vamos reverter este terror? Vamos mostrar com nosso voto, o nosso grito de basta, que não aceitamos sabotagem, opa, perdão, como que eles chamam essa coisa mesmo… “fraude”. Que vamos plantar nossos sonhos e esperança em uma nova direção… a direção da moralidade ética e respeito.

Não baixaremos o nível da campanha!

Não baixaremos o nível da campanha!

O novo “jornal” da chapa 1 está repleto de invencionices, calúnias, mentiras, difamações e distorções, o que demonstra o total desespero de quem faz da disputa de uma direção de sindicato uma politicagem desvairada, com baixarias que enojam a todos nós, servidores públicos.
.
A chapa 1 só está preocupada em ganhar votos a qualquer preço, mesmo que para isso sej apreciso continuar jogando lama no processo democrático depreciando a imagem pessoal e profissional de colegas de trabalho e subestimando a inteligência dos trabalhadores ao fazer acusações sem NENHUMA PROVA.
.
Mais do que leviandade, estas acusações consistem em um atentado à honra e à dignidade não apenas dos membros da CHAPA 2, como também de toda categoria.
.
Se agem assim na campanha,  imagine continuando à frente da direção?!   
.
A chapa da situação ainda não compreendeu que a categoria está cansada dessa baixaria, não quer e não precisa de uma direção que promova a divisão e a desunião entre os servidores públicos e é submissa aos interesses do governo de plantão.
.
Não baixaremos o nível na campanha e daremos o troco do golpe nas urnas!
.
HONESTAMENTE, os servidores públicos estão fartos das manobras e picuinhas da chapa governista..
.
A CHAPA 2 – OPOSIÇÃO UNIFICADA segue firme junto com os servidores públicos no propósito de retomar o controle do sindicato para as mãos dos trabalhadores e construir um sindicato independente de governo, partidos políticos e centrais sindicais pelegas e governistas.
.

CHAPA 2
OPOSIÇÃO UNIFICADA: ALTERNATIVA DEMOCRÁTICA
NADA SERÁ COMO ANTES!

De Goebbels a Mr. M

Após  levar um puxão de orelha do Marinho e forjar factoides para justificar a anulação da decisão legítima dos servidores públicos que elegeram a Chapa 2, a atual direção e sua chapa governista segue o sórdido lema do Joseph Goebbels de dizer mentiras mil vezes até que as pessoas passem a acreditar que sejam verdade.

Esse tipo de golpe vem ocorrendo em vários sindicatos em que a CUT perdeu a direção. 

Alegar fraude num processo exclusivamente conduzido e controlado pela própria chapa 1 é má fé, e mostra da mais pura incompetência. 

Sugerir que a suposta fraude foi realizada pela chapa 2, ou em benefício dela, é de uma atitude imoral, injuriosa e de maucaratismo total.

A categoria tem rechaçado de forma veemente o golpe da direção governista e, em menos de sete dias, mais de 3 mil servidores públicos assinaram abaixo assinado contra o golpe e em defesa da posse da chapa 2. 

Para melhor compreensão de como ocorreu o golpe e como após a apuração encerrada, como se fosse num passe de mágica digno de Mister M, apareceram as supostas fraudes:

https://oposicaounificadachapa2.wordpress.com

Como se construiu o golpe da direção do sindicato e sua chapa 1 contra os trabalhadores – Parte 2

Do blog da CHAPA 2 – Oposição Unificada
http://oposicaounificadasbc.blogspot.com.br/2015/11/como-se-construiu-o-golpe-da-direcao-do.html

*

PARTE 2 –  TENTATIVA DE OMISSÃO DAS MANOBRAS DENUNCIADAS PELA CATEGORIA E APRESENTADOS PELA CHAPA 2 E RECONHECIMENTO DA LEGITIMIDADE DO RESULTADO DAS ELEIÇÕES.
1.A apuração dos votos foi toda controlada pela chapa 1, por meio dos mesários e coordenadores de mesa indicados pela Comissão Eleitoral que, como vimos anteriormente, foi toda indicada pela chapa 1 num processo coordenado pelo presidente do sindicato e candidato à reeleição pela chapa governista. Os coordenadores de mesa definiram trajetos das urnas à revelia do percurso publicado criando dificuldades para coletar votos nos locais em que a chapa 1 considerava que eram predominantemente constituídos por simpatizantes da chapa da Oposição.
Tais manobras foram denunciadas por dezenas de servidores públicos, por meio de e-mails encaminhados ao sindicato com cópia para o e-mail da Oposição Unificada. Mantendo a luta pela garantia de democracia, lisura e transparência na eleição, a CHAPA 2 registrou estas ocorrências já no primeiro dia de votação:
*
A CHAPA 2 teve que protocolar as ocorrências em documento à parte da ata elaborada pela Comissão Eleitoral, pois a Comissão Eleitoral se recusou a registrar em ata as denúncias apresentadas.
*
*
2. No dia da apuração todas as listas foram conferidas pelos mesários e coordenadores de mesa, além dos advogados contratados pela chapa 1, e no final da apuração foi  lavrada uma ata de 13 páginas detalhando o processo de coleta de votos urna por urna, sem qualquer registro de ocorrências por parte dos coordenadores/ presidentes de mesa (todos indicados pela Comissão Eleitoral indicada pela chapa 1), que durante o processo de votação ficaram de posse das listagens e foram responsáveis por conferir as assinaturas dos eleitores. Nesta ata, a Comissão Eleitoral, assim como o próprio Chagas e o presidente da apuração legitimam a vitória da chapa 2, atestando que o processo ocorreu sem problemas.
*
*
3. É interessante observar que, enquanto tinham a certeza da vitória (certeza esta evidenciada nas palavras de ordem e cantos de vitória entoados por membros e simpatizantes da chapa governista até minutos antes do resultado final da apuração), e depois ainda sob o efeito do impacto da derrota inesperada, tanto a Comissão Eleitoral indicada pela chapa 1, como a própria chapa 1, o presidente do Sindserv SBC, o presidente da apuração, os mesários e presidentes de mesa – todos eles vinculados à atual diretoria do sindicato – atestaram a lisura do processo eleitoral.
Mas, então, se o processo de coleta de votos transcorreu em “rigorosa obediência” ao Estatuto do Sindicato conforme atestaram, se as únicas ocorrências registradas (e registradas pela CHAPA 2!) diziam respeito ao não cumprimento de horários e dos roteiros previstos, como pode posteriormente a chapa derrotada e seu presidente-candidato-à-reeleição alegar, juntamente com sua Comissão Eleitoral, irregularidades num processo eleitoral absolutamente coordenado, conduzido e controlado por eles mesmos?
Em outras palavras, como se produziu a suposta fraude que até a apuração simplesmente não existia?
É  que veremos na próxima e última parte desta famigerada história que se configura em verdadeiro golpe da direção do Sindserv contra os servidores públicos.

Como se construiu o golpe da direção do sindicato e sua chapa 1 contra os trabalhadores – Parte 1

Do Blog da Oposição Unificada

http://oposicaounificadasbc.blogspot.com.br/

*

PARTE 1 – A FALSA NEUTRALIDADE E A FARSA DA DEMOCRACIA NA COMISSÃO ELEITORAL

  1. A Comissão Eleitoral não era “neutra”: foi toda indicada pela chapa 1.O trecho acima refere-se à assembleia de eleição da Comissão Eleitoral, do dia 19 de agosto. Nesta assembleia, buscando garantir democracia na condução do processo eleitoral, a CHAPA 2 propôs composição proporcional na Comissão Eleitoral. A Representante da CHAPA 1 e atual Secretária Geral do Sindserv propôs voto em bloco, o que levou à constituição da Comissão Eleitoral somente com indicados da CHAPA 1.

Ata de reunião no Ministério Público do Trabalho_1

2. Não foi concedida para a representante da CHAPA 2 a lista de presença da assembleia de eleição da Comissão Eleitoral. Com havia no recinto da assembleia pessoas estranhas à categoria, queríamos verificar se todos os presentes cumpriam o requisito para participação na assembleia. Por que será que não nos deram nem vistas à lista? Quem não deve não teme!

Ata de reunião no Ministério Público do Trabalho_3

.

3.A direção do sindicato e sua chapa tentam enganar a categoria quando sugerem que as decisões da Comissão Eleitoral teriam contado com a aprovação de nossa representante, e omitem que a CHAPA 2 sempre manifestou suas discordâncias de todos os atos e procedimentos considerados arbitrários e ilegais, solicitando o registro em ata, porém nem sempre sendo atendida. A verdade é que a representante da CHAPA 2 não possuía poder de decisão na Comissão Eleitoral. Pior que isso, as manifestações da CHAPA 2 junto à Comissão Eleitoral eram censuradas nas atas.

Ata de reunião no Ministério Público do Trabalho_2

TODOS À ASSEMBLEIA TERÇA-FEIRA, 27 DE OUTUBRO, ÀS 18H, CONTRA O GOLPE DA CHAPA 1 E DA DIREÇÃO GOVERNISTA

Dando continuidade ao golpe contra os servidores públicos, a direção do Sindserv  publicou edital de novas eleições, com convocação para assembleia geral para a próxima terça-feira, 27 de outubro, às 18h.

Não vamos aceitar a continuidade do golpe! No entanto, enquanto o processo corre na justiça, precisamos garantir a eleição de uma comissão eleitoral livre da influência da chapa 1.

É preciso transformar a nossa indignação em ação coletiva!

É necessário que cada servidor público que foi golpeado pelas costas com a anulação da eleição ajude na mobilização contra o golpe, imprimindo o abaixo-assinado e recolhendo assinaturas nos diversos setores do funcionalismo!

Precisamos que todos compareçam às 18h da próxima terça-feira na assembleia do sindicato para impedir que o golpe  continue!

Participe e ajude a mobilizar os colegas de trabalho.

Nesta assembleia, que é parte da continuidade do golpe da direção governista, será eleita uma nova comissão eleitoral. Enquanto a justiça não decidir nossos recursos, precisamos garantir que a nova comissão eleitoral seja eleita livre da influência da chapa marinheira!

Daqui para frente nossa mobilização será primordial para a garantia da decisão democrática da categoria!

Nota da CHAPA 2 sobre o golpe dado pela direção cutista do Sindserv, sua chapa e sua comissão eleitoral

Aos Servidores Públicos Municipais de São Bernardo do Campo e demais trabalhadores e entidades comprometidos com a democracia sindical

Nesta segunda-feira, 19 de outubro, a Comissão Eleitoral que foi indicada pela chapa 1 decidiu anular o resultado das eleições e convocar novas eleições para a direção do Sindserv.

Infelizmente, este ato de covardia contra os servidores públicos e contra a democracia já era mais do que previsto e faz parte de uma prática adotada nacionalmente pela CUT – Central Única dos Trabalhadores, vinculada ao PT, que tem impugnado eleições nos sindicatos em que ela se vê derrotada.

O recurso da chapa 1 à sua comissão eleitoral não poderia ser aceito, pois estava em desacordo com o previsto no estatuto, que estabelece, entre outras coisas, que devem ser anexadas provas ao pedido de impugnação, o que não ocorreu.

É preciso que todos saibam que parte da comissão eleitoral e parte da chapa 1 abriu e manipulou documentação eleitoral que estava sob a sua guarda, na sede do sindicato. Isso tudo sem a presença e sem o conhecimento prévio da representante da CHAPA 2.

Esta ação se constituiu em grave violação da documentação eleitoral! Somente a partir daí é que a chapa governista passou a alegar supostas fraudes e a comissão eleitoral empreendeu vistorias nas listagens que, por força da manipulação indevida, se tornaram viciadas.

Mesmo tendo sido alertada de que estava agindo em desacordo ao Estatuto do Sindserv e sem a devida imparcialidade, a Comissão Eleitoral deu continuidade ao falso processo de diligência, contratando novos advogados e até mesmo um cartorário para tentar dar ares de regularidade ao golpe!

Foram feitas verificações nas listagens de todas as urnas, sem aparente critério para indicação de assinaturas consideradas “inconsistentes”. O máximo que se conseguiu verificar é que existem algumas assinaturas em local errado, e não “falsificação de assinaturas”. Além disso, NÃO HÁ mais votos do que a quantidade de assinaturas.

A Comissão Eleitoral não procurou apurar se as assinaturas eram de pessoas que na hora de assinar erraram de lugar. Pior que isso, agindo a favor dos interesses da chapa 1 que a indicou, tratou de denominar como “fraude” o que pode ser simples erro de assinatura.

É preciso que se diga que tais erros estatutariamente não levam à impugnação nem de urna, muito menos de eleição. Portanto, a decisão da Comissão Eleitoral é uma afronta ao Estatuto do Sindserv, às liberdades sindicais, à democracia e aos servidores públicos municipais.

Ora, o processo eleitoral foi completamente dirigido e controlado pela chapa 1 por meio da direção do sindicato, de sua comissão eleitoral, de seus coordenadores de mesa e mesários. Se algum trabalhador assinou em local errado isso ocorreu sob a responsabilidade exclusiva dos coordenadores de mesa indicados pela comissão eleitoral indicada pela chapa 1, pois os coordenadores de mesa é que foram os responsáveis pela posse, controle das listagens, indicação e conferência das assinaturas.

Se tivesse havido algum tipo de problema na coleta das assinaturas os presidentes de mesa deveriam ter registrado em ata. Ao contrário disso, atestaram que a coleta de votos e de assinaturas ocorreu na mais completa normalidade. Ou seja, asseguraram a lisura do pleito, assim como fizeram a Comissão Eleitoral, o presidente da apuração, o presidente do Sindserv (que é Coordenador do processo eleitoral e candidato à reeleição) e a representante da chapa 1 – ao menos enquanto estavam convictos da sua vitória.

Por meio de boletins e de comunicados via redes sociais, a chapa 1 tenta depreciar a imagem dos membros da CHAPA 2, associando de forma injuriosa a nossa vitória a supostos atos ilícitos. O que a chapa 1 não se conforma é que, ainda com todas as manobras que ela realizou para se reeleger, foi derrotada pela categoria, que de forma legítima e ordeira elegeu a CHAPA 2 para a direção do Sindserv.

Os servidores públicos, que conhecem de longa data as artimanhas da CUT, do PT e dessa direção sindical pelega e governista, não se deixarão enganar pelas calúnias e injúrias de quem não tem o hábito de respeitar decisões democráticas.

Diante de tantos ataques sofridos pelo funcionalismo público, a indignação se faz presente nas manifestações individuais de milhares de trabalhadores. Quanto mais golpes da direção governista, mais apoio e solidariedade recebe a CHAPA 2 – OPOSIÇÃO UNIFICADA.

Estamos tomando todas as providências possíveis e necessárias para reverter o golpe da direção do sindicato, inclusive as jurídicas. No entanto, ações isoladas são insuficientes para derrotar o golpe da CUT e do PT contra os trabalhadores.

No presente dia, a direção do Sindserv SBC, dando continuidade ao golpe contra os trabalhadores, publicou edital de convocação de novas eleições, com convocação para assembleia geral para a próxima terça-feira, 27 de outubro, às 18h.

Não vamos aceitar a continuidade do golpe! No entanto, enquanto o processo corre na justiça, precisamos garantir a eleição de uma comissão eleitoral livre da influência da chapa 1.

É preciso transformar a nossa indignação em ação coletiva!

É necessário que cada servidor público que foi golpeado pelas costas com a anulação da eleição ajude na mobilização contra o golpe, imprimindo o abaixo-assinado e recolhendo assinaturas nos diversos setores do funcionalismo!
E ao mesmo tempo ajude a mobilizar todo o funcionalismo para participar da assembleia geral chamada pela direção do sindicato para a próxima terça-feira, 27 de outubro, às 18h! Nesta assembleia, que é parte da continuidade do golpe da direção governista, será eleita uma nova comissão eleitoral. Enquanto a justiça não decidir nossos recursos, precisamos garantir que a nova comissão eleitoral seja eleita livre da influência da chapa marinheira!

Faça valer o seu desejo de mudança na direção sindical! Além do abaixo assinado e da participaçaõ e mobilização para a assembleia do dia 27 de outubro, compareça às nossas reuniões, compartilhe os informes nas redes sociais, ajude na distribuição dos nossos panfletos, participe de todas as ações propostas.

Daqui para frente nossa mobilização será primordial para a garantia da decisão democrática da categoria!

 

21 de outubro de 2015

CHAPA2

OPOSIÇÃO UNIFICADA: ALTERNATIVA DEMOCRÁTICA

NADA SERÁ COMO ANTES

*

Clique abaixo para acessar o abaixo assinado

ABAIXO-ASSINADO DO RESULTADO ELEITORAL