Arquivo da tag: eleições

Cai, não cai… mas, afinal, o que deve cair?

“Nossa alternativa deve ser criar as condições para barrar as reformas, seja por qual meio venham a se impor. Nosso dever é afirmar que a presente crise não clama por mais democracia representativa, mas indica seu mais evidente limite, o que exige urgentemente uma nova forma política”. (Mauro Iasi)

Veja o artigo completo, publicado no Blog da Boitempo, clicando no link abaixo:

http://wp.me/pB9tZ-4AT

Processo de 2 milhões de reais contra integrantes da chapa 1 pode revelar uma LAVA A JATO do movimento sindical

A chapa dos destituídos continua propagando mentiras impunemente. Entre outras invencionices, diz que a Oposição Unificada pediu para a Junta Governativa fazer eleição com urna fixa. Nada mais do que uma das tantas mentiras deslavadas cujas provas (por não existirem) nunca são apresentadas.

Pois bem! Contra as mentiras da chapatrão, apenas basta a verdade nua e crua dos fatos.

Servidores em protesto contra a anulação ilegal da primeira eleição do Sindser. Premonição?
Servidores em protesto contra a anulação ilegal da primeira eleição do Sindserv. Premonição?

A verdade é que a turma de Chagas foi destituída por ter sido comprovada a sua responsabilidade nos atos que levaram à anulação da primeira e da segunda eleição; e ainda está sob investigação em relação às fraudes dos RG’s, ocorridas na terceira eleição. Continuar lendo Processo de 2 milhões de reais contra integrantes da chapa 1 pode revelar uma LAVA A JATO do movimento sindical

Marinho cria obstáculos para os servidores votarem

O governo Marinho anunciou que não liberará os servidores para votarem nas eleições do Sindserv. Com isso, cerceia o direito ao exercício democrático de voto – nem todas as urnas funcionarão das 7h às 20h e, sem a liberação, muitos servidores que trabalham entre 07h e 18h não conseguirão se deslocar a tempo para votarem em outras urnas.

A não liberação para a votação é uma medida autoritária, incoerente e que joga a favor da chapa 1 (encabeçada por seu correligionário de partido e apoiada pela CUT) que nas duas eleições anteriores dificultou a coleta de votos nos locais de maioria da oposição e moveu toda uma frota de carros para buscar seus eleitores. Continuar lendo Marinho cria obstáculos para os servidores votarem

CHAPA 2 por uma gestão transparente, democrática e responsável das finanças do sindicato

or uma ESPELHO DE PEROBA 2O material de campanha da chapa governista continua na mesma linha suja das outras duas eleições: propostas requentadas, propaganda enganosa, informações distorcidas e calúnia, muita calúnia…

Eles não aprendem?! Acusam os outros das mazelas que eles fizeram e fazem. Será que não têm espelho? Ou precisam mesmo é de óleo de peroba?!

Chega a ser irônico constatar que em apenas uma frase conseguem dizer três mentiras grosseiras, enquanto escondem a verdade da categoria.

Contra calúnias e mentiras, os fatos:

  1. A CHAPA 2 jamais esteve à frente da direção do Sindserv;
  2. As duas centrais sindicais que nos apoiam também não (ao contrário da CUT – esta sim à frente do sindicato há décadas);
  3. A ação do Sindserv para desconto do imposto sindical é de 2008 – ano em que integrantes da chapa marinheira e Chagas dirigiam o sindicato.

Continuar lendo CHAPA 2 por uma gestão transparente, democrática e responsável das finanças do sindicato

CHAPA 2 – OPOSIÇÃO UNIFICADA: PROPOSTAS PARA GARANTIR DEMOCRACIA, TRANSPARÊNCIA E PLURALIDADE

O estatuto do sindicato concentra ainda mais poderes nas mãos da direção do sindicato, coibindo a participação da categoria e acarretado numa inversão que, de um lado, afasta cada vez mais os funcionários da vida sindical e, de outro, aprofunda a burocratização da direção. 
Por isso, defendemos mudanças na estrutura do sindicato para que os poderes de decisão voltem para as mãos dos servidores públicos e que limite os poderes da direção do sindicato, que deve ter papel de representação e de organização dos servidores, e não agir como “dona” do sindicato.
*
Neste sentido, propomos a realização de um congresso do sindicato, no qual os trabalhadores decidirão sobre o novo estatuto, tendo a possibilidade de apresentarem suas opiniões e defenderem livremente suas ideias.
*
Acreditamos que a direção deva ser colegiada e não mais presidencialista, porque o presidencialismo favorece a promoção da imagem pessoal dos diretores e secundariza o sindicato e a própria categoria como protagonistas.
*
Defendemos também a reorganização dos atuais comitês sindicais de base para garantir que sejam compostos somente com funcionários públicos eleitos pelos seus pares, em cada setor, e não como aconteceu na atual gestão, em que foram todos indicados pela própria direção do sindicato.
*
Garantindo que os representantes de base sejam eleitos diretamente pelos seus pares estaremos fortalecendo o nosso sindicato e os próprios servidores, concretizando, na prática, a democracia sindical e possibilitando a pluralidade na constituição da estrutura sindical.
*
Propomos, ainda, a organização de representações de base por locais de trabalho, ampliando o sindicato para além da Diretoria Executiva, do Conselho Fiscal e do Conselho Consultivo.
*
As lutas serão organizadas pela direção executiva em conjunto com os comitês sindicais de base/ comissões setoriais, com o apoio e participação direta dos representantes de base, que terão o importante papel de construir coletivamente e priorizar as pautas de reivindicações específicas de cada setor.
*
Propomos que Consellho Fiscal e o Conselho Consultivo não sejam eleitos na mesma chapa que a diretoria executiva, porque quem fiscaliza o trabalho político e a movimentação financeira do sindicato deve ter o mínimo de independência em relação a diretoria fiscalizada.
*
As prestações de contas e todas as informações e documentos do sindicato de interesse dos servidores, inclusive o estatuto do sindicato, serão publicizados para acesso de todos. Os servidores públicos terão garantido o direito de acesso às informações e à manifestação de ideias e opiniões nos meios de comunicação do sindicato.
*
Quanto às centrais sindicais, defendemos que a desfiliação da CUT seja decidida em assembleia dos servidores públicos e a eventual filiação a outra central sindical seja amplamente debatida no Congresso do Sindicato. Em todo caso, as decisões serão tomadas coletivamente pelos servidores, garantindo-se o amplo e democrático debate.
 
CHAPA 2
OPOSIÇÃO UNIFICADA
SINDICATO INDEPENDENTE DE PARTIDOS, GOVERNOS E CENTRAIS SINDICAIS PELEGAS E GOVERNISTAS
 
POR UM SINDSERV DE TODOS OS SERVIDORES, PARA OS SERVIDORES!
 
 
*

Não baixaremos o nível da campanha!

Não baixaremos o nível da campanha!

O novo “jornal” da chapa 1 está repleto de invencionices, calúnias, mentiras, difamações e distorções, o que demonstra o total desespero de quem faz da disputa de uma direção de sindicato uma politicagem desvairada, com baixarias que enojam a todos nós, servidores públicos.
.
A chapa 1 só está preocupada em ganhar votos a qualquer preço, mesmo que para isso sej apreciso continuar jogando lama no processo democrático depreciando a imagem pessoal e profissional de colegas de trabalho e subestimando a inteligência dos trabalhadores ao fazer acusações sem NENHUMA PROVA.
.
Mais do que leviandade, estas acusações consistem em um atentado à honra e à dignidade não apenas dos membros da CHAPA 2, como também de toda categoria.
.
Se agem assim na campanha,  imagine continuando à frente da direção?!   
.
A chapa da situação ainda não compreendeu que a categoria está cansada dessa baixaria, não quer e não precisa de uma direção que promova a divisão e a desunião entre os servidores públicos e é submissa aos interesses do governo de plantão.
.
Não baixaremos o nível na campanha e daremos o troco do golpe nas urnas!
.
HONESTAMENTE, os servidores públicos estão fartos das manobras e picuinhas da chapa governista..
.
A CHAPA 2 – OPOSIÇÃO UNIFICADA segue firme junto com os servidores públicos no propósito de retomar o controle do sindicato para as mãos dos trabalhadores e construir um sindicato independente de governo, partidos políticos e centrais sindicais pelegas e governistas.
.

CHAPA 2
OPOSIÇÃO UNIFICADA: ALTERNATIVA DEMOCRÁTICA
NADA SERÁ COMO ANTES!

Nota da CHAPA 2 sobre o golpe dado pela direção cutista do Sindserv, sua chapa e sua comissão eleitoral

Aos Servidores Públicos Municipais de São Bernardo do Campo e demais trabalhadores e entidades comprometidos com a democracia sindical

Nesta segunda-feira, 19 de outubro, a Comissão Eleitoral que foi indicada pela chapa 1 decidiu anular o resultado das eleições e convocar novas eleições para a direção do Sindserv.

Infelizmente, este ato de covardia contra os servidores públicos e contra a democracia já era mais do que previsto e faz parte de uma prática adotada nacionalmente pela CUT – Central Única dos Trabalhadores, vinculada ao PT, que tem impugnado eleições nos sindicatos em que ela se vê derrotada.

O recurso da chapa 1 à sua comissão eleitoral não poderia ser aceito, pois estava em desacordo com o previsto no estatuto, que estabelece, entre outras coisas, que devem ser anexadas provas ao pedido de impugnação, o que não ocorreu.

É preciso que todos saibam que parte da comissão eleitoral e parte da chapa 1 abriu e manipulou documentação eleitoral que estava sob a sua guarda, na sede do sindicato. Isso tudo sem a presença e sem o conhecimento prévio da representante da CHAPA 2.

Esta ação se constituiu em grave violação da documentação eleitoral! Somente a partir daí é que a chapa governista passou a alegar supostas fraudes e a comissão eleitoral empreendeu vistorias nas listagens que, por força da manipulação indevida, se tornaram viciadas.

Mesmo tendo sido alertada de que estava agindo em desacordo ao Estatuto do Sindserv e sem a devida imparcialidade, a Comissão Eleitoral deu continuidade ao falso processo de diligência, contratando novos advogados e até mesmo um cartorário para tentar dar ares de regularidade ao golpe!

Foram feitas verificações nas listagens de todas as urnas, sem aparente critério para indicação de assinaturas consideradas “inconsistentes”. O máximo que se conseguiu verificar é que existem algumas assinaturas em local errado, e não “falsificação de assinaturas”. Além disso, NÃO HÁ mais votos do que a quantidade de assinaturas.

A Comissão Eleitoral não procurou apurar se as assinaturas eram de pessoas que na hora de assinar erraram de lugar. Pior que isso, agindo a favor dos interesses da chapa 1 que a indicou, tratou de denominar como “fraude” o que pode ser simples erro de assinatura.

É preciso que se diga que tais erros estatutariamente não levam à impugnação nem de urna, muito menos de eleição. Portanto, a decisão da Comissão Eleitoral é uma afronta ao Estatuto do Sindserv, às liberdades sindicais, à democracia e aos servidores públicos municipais.

Ora, o processo eleitoral foi completamente dirigido e controlado pela chapa 1 por meio da direção do sindicato, de sua comissão eleitoral, de seus coordenadores de mesa e mesários. Se algum trabalhador assinou em local errado isso ocorreu sob a responsabilidade exclusiva dos coordenadores de mesa indicados pela comissão eleitoral indicada pela chapa 1, pois os coordenadores de mesa é que foram os responsáveis pela posse, controle das listagens, indicação e conferência das assinaturas.

Se tivesse havido algum tipo de problema na coleta das assinaturas os presidentes de mesa deveriam ter registrado em ata. Ao contrário disso, atestaram que a coleta de votos e de assinaturas ocorreu na mais completa normalidade. Ou seja, asseguraram a lisura do pleito, assim como fizeram a Comissão Eleitoral, o presidente da apuração, o presidente do Sindserv (que é Coordenador do processo eleitoral e candidato à reeleição) e a representante da chapa 1 – ao menos enquanto estavam convictos da sua vitória.

Por meio de boletins e de comunicados via redes sociais, a chapa 1 tenta depreciar a imagem dos membros da CHAPA 2, associando de forma injuriosa a nossa vitória a supostos atos ilícitos. O que a chapa 1 não se conforma é que, ainda com todas as manobras que ela realizou para se reeleger, foi derrotada pela categoria, que de forma legítima e ordeira elegeu a CHAPA 2 para a direção do Sindserv.

Os servidores públicos, que conhecem de longa data as artimanhas da CUT, do PT e dessa direção sindical pelega e governista, não se deixarão enganar pelas calúnias e injúrias de quem não tem o hábito de respeitar decisões democráticas.

Diante de tantos ataques sofridos pelo funcionalismo público, a indignação se faz presente nas manifestações individuais de milhares de trabalhadores. Quanto mais golpes da direção governista, mais apoio e solidariedade recebe a CHAPA 2 – OPOSIÇÃO UNIFICADA.

Estamos tomando todas as providências possíveis e necessárias para reverter o golpe da direção do sindicato, inclusive as jurídicas. No entanto, ações isoladas são insuficientes para derrotar o golpe da CUT e do PT contra os trabalhadores.

No presente dia, a direção do Sindserv SBC, dando continuidade ao golpe contra os trabalhadores, publicou edital de convocação de novas eleições, com convocação para assembleia geral para a próxima terça-feira, 27 de outubro, às 18h.

Não vamos aceitar a continuidade do golpe! No entanto, enquanto o processo corre na justiça, precisamos garantir a eleição de uma comissão eleitoral livre da influência da chapa 1.

É preciso transformar a nossa indignação em ação coletiva!

É necessário que cada servidor público que foi golpeado pelas costas com a anulação da eleição ajude na mobilização contra o golpe, imprimindo o abaixo-assinado e recolhendo assinaturas nos diversos setores do funcionalismo!
E ao mesmo tempo ajude a mobilizar todo o funcionalismo para participar da assembleia geral chamada pela direção do sindicato para a próxima terça-feira, 27 de outubro, às 18h! Nesta assembleia, que é parte da continuidade do golpe da direção governista, será eleita uma nova comissão eleitoral. Enquanto a justiça não decidir nossos recursos, precisamos garantir que a nova comissão eleitoral seja eleita livre da influência da chapa marinheira!

Faça valer o seu desejo de mudança na direção sindical! Além do abaixo assinado e da participaçaõ e mobilização para a assembleia do dia 27 de outubro, compareça às nossas reuniões, compartilhe os informes nas redes sociais, ajude na distribuição dos nossos panfletos, participe de todas as ações propostas.

Daqui para frente nossa mobilização será primordial para a garantia da decisão democrática da categoria!

 

21 de outubro de 2015

CHAPA2

OPOSIÇÃO UNIFICADA: ALTERNATIVA DEMOCRÁTICA

NADA SERÁ COMO ANTES

*

Clique abaixo para acessar o abaixo assinado

ABAIXO-ASSINADO DO RESULTADO ELEITORAL