Arquivo da tag: eleições sindserv

NOVAS ELEIÇÕES DO SINDSERV SERÃO COORDENADAS E ARBITRADAS PELO MPT‏

Em audiência realizada no Ministério Público do Trabalho (MPT), a OPOSIÇÃO UNIFICADA garantiu a realização de novas eleições para a direção do Sindserv sob a coordenação e arbitragem do MPT. Finalmente vamos ter eleições que terão como premissa a lisura, a democracia e transparência no processo eleitoral.

 As eleições acontecerão nos dias 17 e 18 de agosto, das 7h às 20h, com urnas eletrônicas fixas através do sistema do próprio MPT: serão 18 pontos de coleta de votos distribuídos pela cidade.

ASSEMBLEIA DE ELEIÇÃO DA COMISSÃO ELEITORAL: 20 DE JULHO ÀS 18H30, NA SEDE DO SINDICATO!

O compromisso e a vontade dos trabalhadores nas duas primeiras eleições foram determinantes para que chegássemos até aqui. Mas, somente a mobilização da categoria unida e organizada impedirá novos golpes e garantirá que se concretize o desejo de mudança manifestado pela categoria..

A primeira tarefa de todos os que lutam para que o sindicato saia do controle do governo e retorne para o controle dos trabalhadores é participar da assembleia de eleição da comissão eleitoral. Precisamos eleger representantes comprometidos com a democracia a lisura e a transparência do novo processo eleitoral.

Novamente contamos com o empenho de todos que desejam mudanças, pois cada voto na OPOSIÇÃO UNFICADA – CHAPA 2é um voto para resgatar o sindicato para  as mãos dos trabalhadores.

Participe da assembleia, convoque seus colegas, mobilize-se e ajude a OPOSIÇÃO UNIFICADA a construir um sindicato de luta, democrático, independente de governos, partidos e de centrais sindicais pelegas e governistas!!!

ENTENDA O PROCESSO

A atual direção do sindicato, que é ligada ao governo Marinho e é apoiada pela CUT e pelo PT, disputou a reeleição e ao mesmo tempo conduziu as duas eleições  anteriores desrespeitando a vontade da categoria com golpes,  mentiras, e trapaças para tentar se manter a todo custo à frente do sindicato.

A CHAPA 2 ganhou a primeira eleição; a chapa 1 reconheceu publicamente a legitimidade de nossa vitória, mas inconformada com a derrota, por meio de sua comissão eleitoral anulou o resultado das eleições alegando fraude na coleta de assinaturas nas listagens que ficaram sob a responsabilidade, guarda e controle da própria direção/chapa governista.

Durante a apuração na segunda eleição, quando a CHAPA 2 estava com mais de 200 votos à frente da chapa governista, ou seja, quando novamente estava prestes a ser declarada vitoriosa, a urna 22 foi furtada da sala de apuração.

A chapa governista, junto com seus apoiadores continuou a “apuração” das urnas restantes e se autoproclamou vencedora.

Por meio de ação movida pelo MPT, a justiça anulou a eleição e a posse da chapa 1 e determinou  realização de novo pleito.

 À revelia da justiça, liberados pelo governo Marinho, membros da chapa 1 permaneceram por meses apresentando-se indevidamente como diretores do sindicato e usando a estrutura sindical para fazer autopromoção! Foi preciso acionar a justiça para que a decisão judicial fosse cumprida e os servidores liberados indevidamente retornassem aos seus postos de trabalho.

O novo processo eleitoral será a oportunidade definitiva para que o nosso sindicato tenha representantes legítimos e que lutem ao lado dos servidores pelos interesses do funcionalismo!

FORTALECIMENTO DA REPRESENTATIVIDADE E LEGITIMIDADE DO SINDICATO

A CHAPA 2 – OPOSIÇÃO UNIFICADA, que entrou com ação para reverter a anulação da primeira eleição, tem  a convicção de que a justiça poderia decidir pela nossa posse, pois tem todos os elementos materiais que comprovam a arbitrariedade da anulação feita pela comissão eleitoral da chapa 1. A decisão caberia recurso e mesmo sendo muito difícil que a chapa governista obtivesse sucesso, avaliamos que a judicialização desse processo poderia trazer ainda mais instabilidade para o nosso sindicato e, assim, acarretar prejuízos aos servidores públicos. Por isso, persistimos na construção de um processo eleitoral com garantias democráticas, com lisura e com transparência.

Desde a primeira eleição, a CHAPA 2 reivindica a participação do Ministério Público do Trabalho nas eleições para que os servidores públicos tenham seu voto respeitado: a coordenação das eleições por um órgão respeitado, independente, isento e idôneo fortalece a representação sindical, pois o resultado das novas eleições reafirmará a vontade da categoria. Tudo isso só será possível se os trabalhadores continuarem mobilizados e alertas!

OPOSIÇÃO UNIFICADA

DOS SERVIDORES PÚBLICOS DE SÃO BERNARDO DO CAMPO

Entre em contato e acesse para mais informações:

BLOG: https://oposicaounificadachapa2.wordpress.com/

FACEBOOK: Oposição Unificada dos Servidores Públicos de São Bernardo do Campo

EMAIL: oposicaounificada.sbc@gmail.com

Assumiram de vez que nada mais são do que a chapa do patrão: chapatrão.

No boletim da CHAPA 2 – OPOSIÇÃO UNIFICADA denunciamos que, com o rombo de 1, 2 bilhões de reais, mais o aumento dos gastos com obras e a diminuição da arrecadação os funcionários correm sérios riscos de não verem cumpridos, pelo governo, alguns pagamentos e o acordo da Greve. Era esperado que o governo se manifestasse e garantisse que não há risco algum. Sabe quem reivindicou “direito de resposta” colocando a mão no fogo pelo Marinho, garantindo que a lei será cumprida, simplesmente porque “é lei”?! Pois é, a chapa 1. A chapa governista é rápida no gatilho em defender seu companheiro no paço. Não precisa dizer mais nada, né! Basta lembrar que a greve Tb é um direito estabelecido em lei (federal), e a péssima negociação da direção do sindicato levou milhares de servidores públicos a terem descontos salariais e faltas (mesmo compensando os dias parados).

CHAPA 2 ENTRA COM RECURSOS PARA GARANTIR DEMOCRACIA, LISURA E TRANSPARÊNCIA NAS ELEIÇÕES DO SINDICATO

CONHEÇA AS AÇÕES QUE A CHAPA 2 TEM FEITO DESDE A PRIMEIRA VOTAÇÃO PARA GARANTIR UM PROCESSO ELEITORAL LIMPO, COM LISURA, TRANSPARÊNCIA E DEMOCRACIA.
No dia 17 de novembro haverá audiência para julgamento da liminar que a CHAPA 2 impetrou contra o golpe que a direção do Sindserv e sua chapa deram nos trabalhadores. Enquanto corre o processo, a CHAPA 2, considerando a revindicação da categoria, decidiu se inscrever e participar das novas eleições, até mesmo porque infelizmente no Brasil a Justiça nem sempre é justa, muito embora estejamos confiantes de que a justiça será feita, face aos absurdos e às arbitrariedades cometidas contra a decisão legítima dos servidores que deram a vitória à CHAPA 2.
Assim como no primeiro pleito, continuamos exigindo da direção do Sindserv, da comissão eleitoral e do coordenadorgeral  da eleição (que não coincidentemente é ao mesmo tempo o presidente do sindicato e candidato à reeleião pela chapa governista)democracia, transarência e lisura no processo eleitoral): democracia, lisura e transparência no processo eleitoral.
Por isso, já na primeira reunião da Comissão Eleitoral a CHAPA 2 protocolou uma série de reivindicações que seguem na íntegra baixo.
Transparência, democracia e lisura se fazem em práticas concretas, e não com discursos vazios!
.
LISTA DE SÓCIOS
 
Democracia em eleição se faz com a garantia de condições de igualdade para a realização da campanha, e com transparência de informações. A chapa governista tem acesso privilegiado à listagem de sócios por local de trabalho. Na primeira eleição essa informação nos foi recusada, apesar da recomendação do Ministério Público do Trabalho de que a mesma condição fosse garantida à CHAPA 2.
Publicamente, sugerimos que a listagem seja disponibilizada online para que todos os funcionários públicos possam verificar, garantindo-se transparência em relação a quem, sendo sócio, está apto a votar.
***
Para continuar lendo este texto, acesse:
ou então: