Arquivo da tag: eleição Sindserv

08 de dezembro, quinta-feira: dia de acabar com os golpes, as fraudes e o autoritarismo em nosso Sindserv

Nesta quinta-feira, os serv2016-02-03-17-38-08idores públicos de São Bernardo do Campo terão uma tarefa histórica: enfrentar todas as dificuldades impostas pelo esquema de eleição estabelecido pela CUT e sua chapa governista e votar pela mudança, fazendo justiça à decisão soberana da categoria que já no primeiro pleito elegeu a CHAPA 2.

Porém, votar novamente e mais uma vez na CHAPA 2 não se trata apenas de fazer justiça nem de reafirmar o desejo de mudança; se trata acima de tudo de livrar nosso sindicato das amarras de governos, partidos e centrais sindicais pelegas e governistas, retomando-o para o controle dos servidores; se trata de juntos transformarmos nosso sindicato em uma ferramenta de luta e de organização de todos os servidores públicos em defesa de nossas conquistas, contra os duros ataques aos nossos direitos e contra o desmonte do serviço público. Continuar lendo 08 de dezembro, quinta-feira: dia de acabar com os golpes, as fraudes e o autoritarismo em nosso Sindserv

NENHUM membro da CHAPA 2 que concorre à direção executiva participou de gestões sindicais anteriores.

Do blog da CHAPA 2:

https://oposicaounificadachapa2.wordpress.com/2015/11/13/nenhum-membro-da-chapa-2-que-concorre-a-direcao-executiva-participou-de-gestoes-sindicais-anteriores/

.

DESESPERADAMENTE, para se manter à frente da direção do sindicato,a chapa 1 está divulgando, por meio de boletins impressos e redes sociais, informações distorcidas e mentiras a respeito da CHAPA 2, de nossos integrantes e apoiadores.

pinoquioUMA DAS MENTIRAS é de que a CHAPA 2 esteve à frente da direção do sindicato por 14 anos. Vamos aos fatos:

NENHUM membro da CHAPA 2 que concorre à direção executiva participou de gestões sindicais anteriores.

Três integrantes da nossa chapa participaram de direções de sindicato, em gestões distintas. Jamais compactuaram e jamais se beneficiaram de ações ilícitas, ao contrário do que injuriosamente insinua a chapa governista. Duas destas romperam com estas direções denunciando desvios políticos e financeiros cometidos à época. Tiveram a coragem e a integridade necessárias para permanecem na luta ao lado dos trabalhadores, sem se omitir nem serem coniventes. Todas elas são pessoas idôneas e funcionárias públicas respeitadas, que sempre participaram das lutas defendendo os interesses da categoria.
Honestidade se demonstra na prática, e não por meio de acusações falsas e informações distorcidas. Não será com calúnias, difamações e injúrias que a direção governista e sua chapa 1 recuperarão o respeito da categoria.

VAMOS JUNTOS TIRAR O SINDSERV DAS MÃOS DO GOVERNO E RETOMAR PARA O CONTROLE DOS SERVIDORES PÚBLICOS!

CHAPA 2
OPOSIÇÃO UNIFICADA: ALTERNATIVA DEMOCRÁTICA
“NADA SERÁ COMO ANTES”

CHEGA DE GOLPE NO SINDSERV: Entenda como a chapa do Marinho tenta impedir que prevaleça a decisão da categoria que elegeu a CHAPA 2 – OPOSIÇÃO UNIFICADA

A atual diretoria controlou todo o processo desde o começo: fez uma assembleia para eleição da Comissão Eleitoral na véspera de um feriado, em horário em que a maioria da categoria não consegue participar. Antes das 17h a chapa 1 já havia colocado dezenas de pessoas uniformizadas dentro do espaço da assembleia (ação semelhante ao governo Marinho, no episódio de aprovação de seu projeto de estatuto para a educação). Essas manobras evidenciam a ação da direção para não haver participação dos servidores e para eleger a Comissão Eleitoral indicada pela chapa 1, sem a proporcionalidade proposta pela CHAPA 2.

Ou seja, quem afirma “quem não deve não teme” já começou a eleição temendo que tivesse qualquer membro da CHAPA 2 com direito de voto na comissão eleitoral! A comissão eleitoral não tem nada de “neutra”, pois foi toda indicada pela chapa do Chagas, sendo ele próprio o Coordenador do Processo Eleitoral.

A coleta de votos foi totalmente controlada pela chapa da atual diretoria: sua comissão eleitoral indicou o presidente e um mesário, enquanto a CHAPA 2 pode indicar apenas um mesário, sem poder de decisão. A coleta de votos com urnas itinerantes em locais de grande concentração de funcionários dificultou a participação dos sócios. Somado a isso, o roteiro foi definido pelo presidente indicado por eles, à revelia do roteiro divulgado oficialmente – esta manobra prejudicou a coleta de votos, e muitos trabalhadores tiveram de se dirigir até o sindicato para exercer o seu direito, mas a urna fixa do sindicato foi fechada para horário de almoço, quando vários servidores compareceram para votar.

Na entrega das urnas, os presidentes e mesários indicados pela chapa 1 não apontaram nenhuma ocorrência: a declaração deles registrada em ata é de que o processo ocorreu na mais perfeita ordem e normalidade. As listagens ficaram sob controle exclusivo dos presidentes de mesa indicados pela comissão eleitoral. Todo o material de coleta de votos foi conferido pela Comissão Eleitoral. A Comissão Eleitoral impediu que a CHAPA 2 incluísse em ata as ocorrências apontadas pelos mesários da Oposição Unificada sobre o roteiro das urnas e os locais em que haviam deixado de colher votos. Diante desta proibição autoritária, a CHAPA 2 protocolou seus registros de ocorrências.

A chapa do Chagas não se conforma com a derrota e apela para “golpe-tapetão”!!!

Mesmo diante de todo o controle do processo eleitoral a chapa da atual diretoria perdeu as eleições nas urnas, pois a categoria estava decidida a mudar. E apesar de tanta falta de democracia imposta, a CHAPA 2 seguiu neste processo confiando na força do servidor e na sua vontade de retomar o sindicato para as suas mãos.

A vitória da CHAPA 2 foi referendada pelo próprio Chagas no dia da eleição, registrado em vídeo em que ele diz que o processo eleitoral foi legítimo e deseja uma boa gestão à Oposição Unificada. No dia seguinte Chagas também reconheceu a derrota em vários jornais, como nesta matéria do DGABC: “Com o revés eleitoral, Chagas, filiado ao PT e ligado à GCM (Guarda Civil Municipal), afirmou que o saldo é importante para “fortalecer a democracia e mostrar transparência”. “(Derrota) Faz parte da disputa. Prevaleceu a vontade da maioria (dos servidores)”.

Porém após alguns dias o desespero bateu e, numa atitude completamente parcial, parte da Comissão Eleitoral, entre estes o atual Sr. Presidente, juntamente com o atual diretor de finanças do sindicato e candidato à reeleição, abriu e manipulou materiais da eleição sem a presença e o conhecimento da Representante da CHAPA 2, registrando uma ata onde afirmam haver uma assinatura errada (0,01% dos votos). No dia seguinte, nos comunicaram da apresentação de recurso pedindo a anulação da eleição, apontando, desta feita, duas assinaturas erradas. Agora, a comissão eleitoral indicada pela chapa 1 decidiu fazer “diligência” nas listagens com fins a apurar assinaturas de pessoas que supostamente não teriam votado. ISSO APÓS TEREM ABERTO E MANIPULADO OS MATERIAIS DA ELEIÇÃO SEM A PRESENÇA DA REPRESENTANTE DA CHAPA 2.

Estas atitudes representam um verdadeiro golpe contra a decisão dos servidores, realizado por aqueles que à revelia da categoria querem se manter na direção a qualquer custo, inclusive insinuando de forma injuriosa que a CHAPA 2 teria fraudado as eleições. Como poderia a CHAPA 2 fraudar documentações das quais a comissão eleitoral indicada pela outra chapa e seus respectivos presidentes de mesa e mesários o tempo todo mantiveram o controle e a guarda?!

A chapa 1 faz uma inversão perniciosa a fim de tentar enganar os servidores. Não é a CHAPA 2 que tem de apresentar defesa de nada, mas sim quem acusa que tem de apresentar provas! E prova alguma foi anexada junto ao recurso, como deveria ter sido feito. Aliás, o recurso da chapa 1 sequer deveria ter sido aceito pela comissão eleitoral, por apresentar-se em desacordo com o Estatuto do Sindicato.

No recurso, a chapa 1 sustenta o pedido de impugnação da eleição por ela não corresponder às suas expectativas! O que poderia ser somente um lamento de derrota se transforma num golpe contra a democracia!

A QUEM INTERESSA O GOLPE?

Certamente os maiores interessados são: o PT de Chagas, o governo Marinho – que não quer uma direção independente e combativa à frente do sindicato – e a CUT, que teme perder o controle do Sindserv.

Essa direção que é eficaz em defender seus partidários no governo, refaz votações e fomenta a divisão entre os servidores até que os interesses governistas sejam atendidos. Assim como fizeram no desfecho da greve pretendem refazer eleições até que sejam vitoriosos, usando perversidades como insinuações caluniosas contra servidores da Oposição, distorções e omissões de fatos e de dados, e falsas acusações. NÃO VAMOS LEGITIMAR ESSE GOLPE!

Somente os servidores organizados e mobilizados podem fazer valer a decisão da categoria Participe do abaixo-assinado exigindo que se cumpra a decisão da eleição

 Agora é a hora de estarmos ainda mais unidos e organizados para impedir esse golpe da chapa 1 . Mais do que nunca é hora de garantir a decisão dos servidores e exigir a posse da CHAPA 2 – OPOSIÇÃO UNIFICADA!

Esse abaixo assinado, que será passado pela Oposição Unificada nos locais de trabalho, é muito importante para ajudar a fazer valer a decisão das urnas!!! Sua participação foi fundamental para que superássemos todas as desigualdades e garantíssemos nas urnas a mudança. Este movimento deve continuar!

Imprima a folha disponível no blog da CHAPA 2 (https://oposicaounificadachapa2.wordpress.com/), recolha as assinaturas em seu local de trabalho e entregue para um membro da CHAPA 2. Se precisar, entre em contato conosco: oposicaounificada.sbc@gmail.com .

QUE PREVALEÇA A DEMOCRACIA E A VONTADE DA CATEGORIA!!!

POR UM SINDSERV PARA OS SERVIDORES, INDEPENDENTE DE PARTIDOS E GOVERNOS

Por Anderson Nunes

Não podemos admitir que um Sindicato custeado pelos servidores, o qual arrecada milhões de reais por ano em contribuições, possa ser utilizado para defender interesses partidários que são estranhos aos interesses dos servidores.

A ligação da atual diretoria com a CUT e especialmente com o PT tem fragilizado o Sindserv nas negociações perante a prefeitura, pois existe de fato um constrangimento muito grande desta atual direção em ter um posicionamento mais enérgico em relação ao prefeito (que coincidentemente foi presidente da CUT e pertence ao PT) tanto é verdadeiro este constrangimento que o PCCS não avança mesmo com a atual diretoria estando a frente das negociações desde 2009.

Outro exemplo da falta de firmeza da atual diretoria em relação ao prefeito petista foram as negociações fracassadas durante a campanha salarial de 2015, o que acabou anulando os esforços de 22 dias de greve empreendidos pela categoria, pois além de não ter havido a reposição da correção inflacionária aos servidores, itens importantes da pauta de negociação como: Vale Refeição e Vale Transporte sequer foram negociados e estão no mesmo patamar de 2014 sendo corroídos pela elevada inflação deste ano.

Inclusive, a péssima negociação empreendida pela atual diretoria que aceitou passivamente a aplicação dos índices inflacionários acumulados entre 2015 e 2016 para Março de 2016 criou uma grande ameaça aos servidores: A possibilidade iminente de não haver o reajuste salarial em 2016, uma vez que a arrecadação do município tem sofrido sucessivas quedas diárias neste ano, pois há dias que entre a arrecadação prevista e a arrecadação realizada as quedas ultrapassam valores entre R$ 500 mil a R$ 1,2 milhão por dia.


Além do mais, o fato da negociação do reajuste de 2016 estar contida num projeto de Lei não é garantia para os servidores de que o reajuste será aplicado, vez que a nossa data-base determinada para o mês de Março também está prevista em lei e mesmo assim foi desrespeitada por esta administração que não é confiável.


Diante do cenário financeiro desfavorável das finanças públicas municipais, surgem muitas dúvidas se a prefeitura terá condições econômicas para honrar o acordo de reajuste em Março de 2016 ?


Pois se não houve condições financeiras para conceder um reajuste de 7% na data-base de 2015 como haverá condições para oferecer um reajuste de, no mínimo, 16% em Março de 2016 se a arrecadação do Município está em queda vertiginosa ?


Não podemos nos esquecer que em 2016 por ser ano eleitoral o prefeito irá priorizar os investimentos para a conclusão das inúmeras obras paradas na cidade a fim de tentar eleger seu sucessor e isso fará com que haja ainda menos recursos disponíveis para a concessão da reposição inflacionária ao funcionalismo.


Finalmente, para que o Sindserv consiga, de fato, sair do estado de letargia em que se encontra há muitos anos e possa “andar pra frente” é necessário primeiramente se libertar das amarras da CUT que prioriza mais os interesses partidários do que os da nossa categoria. Também é importantíssimo destacar que se o atual presidente do Sindserv (candidato à reeleição) vier a se tornar candidato a vereador pelo PT em 2016 (como é especulado nos bastidores) ele ficará ainda mais fragilizado numa negociação com o Marinho e isso será extremamente prejudicial aos interesses dos servidores.


Por isso, para podermos contar com um sindicato mais democrático, mais transparente na divulgação de suas demonstrações financeiras, mais independente em relação ao prefeito e que priorize os interesses dos servidores ao invés dos interesses partidários eu apoio e peço o voto dos meus colegas servidores para a Chapa 2 Oposição Unificada a qual tenho orgulho de fazer parte em prol da devolução do Sindicato aos servidores públicos de SBC.

*

Anderson Nunes da Silva é Servidor da SF e integrante da CHAPA 2 – OPOSIÇÃO UNIFICADA, pelo Conselho Consultivo.

No tapetão não!!!

Do blog da Oposição Unificada – Chapa 2.
quinta-feira, 20 de agosto de 2015
NO TAPETÃO NÃO!!!

Exigimos transparência e democracia nas eleições do Sindserv Sbc para garantir condições justas e igualitárias a todas às duas chapas!

O que vcs achariam se a presidente Dilma Roussef tivesse concorrido à reeleição e fosse ela mesma (ou alguém indicado por ela) a responsável por presidir e fiscalizar o processo eleitoral?

E se, antes disso, os responsáveis por receber, deferir ou indeferir as documentações dos candidatos adversários fossem ninguém mais além dos contratados pela presidente-candidata?

Tipo futebol de um cara só …ele bate escanteio, cabeceia, faz o gol, sai para o abraço (nele mesmo), e narra o jogo em que ele é juiz e cuja regra foi definida por ele!

Pois saibam que é exatamente isso que está ocorrendo nas eleições do nosso sindicato!