Arquivo da categoria: Sociedade

#EleNão: neste sábado (29), mulheres saem às ruas contra Bolsonaro e seu discurso machista e fascista; atos no Brasil e no mundo

NOTA DA PEDRA LASCADA: Nós, homens, também! #EleNão! #EleNunca!

*

Do site da CSP-Conlutas:

Depois do fenômeno #EleNão nas redes sociais, o repúdio ao candidato Jair Bolsonaro vai ganhar as ruas neste sábado (29). Em diversas cidades brasileiras, e até mesmo fora do país, estão programadas manifestações contra o candidato do PSL e seu discurso machista, de ódio contra as mulheres e de desprezo à democracia.

O Facebook já registra mais de 100 eventos que estão sendo convocados em capitais brasileiras, em cidades do interior de vários estados e até no exterior, como Lisboa, Porto e Coimbra (Portugal), Berlim e Munique (Alemanha), Paris e Lyon (França), Galway (Irlanda), Barcelona (Espanha), Sidney e Gold Coast (Austrália), Londres (Inglaterra) e Haia (Holanda), entre outras.

Artistas e torcidas contra o “Coiso”

Além de mulheres da população em geral e movimentos feministas, diversas artistas também estão se mobilizando e convocando os atos deste sábado. Atrizes, cantoras e influenciadoras digitais estão gravando vídeos explicando os motivos pelos quais aderiram à campanha #elenão e convocando as mulheres a participarem do ato. No vídeo, outras três mulheres são desafiadas a fazer o mesmo.

“Fiz meu vídeo convidando todas as mulheres para a passeata do dia 29. Vamos dizer juntas #elenao! Vamos reafirmar a democracia, a igualdade, a liberdade, e acima de tudo o amor!”, postou a atriz Sophie Charlotte.

Desafiada por Maria Gadu, a cantora sertaneja Marília Mendonça publicou em sua conta um vídeo que já tem mais de 1 milhão de visualizações. “Por que no final das contas, não é uma questão de opção política, é uma questão de bom senso!”

Torcidas organizadas de futebol também se pronunciaram, como Gaviões da Fiel, do Corinthians, a Torcida Jovem, do Santos, Palmeiras Antifacista e Palmeiras Livre, torcedores do Flamengo e do Internacional.

Discurso de ódio

Os atos estão sendo organizados por mulheres, mas homens também prometem se juntar à manifestação. Os protestos ocorrerão em meio a um crescente movimento de repúdio ao candidato e sua campanha, que coleciona uma série de ataques repulsivos às mulheres, mas também a negros, quilombolas, indígenas, pobres e favelados.

O mais recente ataque ocorreu em Recife (PE), no último domingo (23). Reproduzindo o discurso que Bolsonaro já fez em vários momentos, apoiadores de sua campanha realizaram a “Marcha da Família” na capital pernambucana. A manifestação foi feita ao som de uma paródia do funk Baile de Favela, em que se comparou as mulheres que não votam em Bolsonaro a “cadelas”. “Para as feministas, ração na tigela. As minas de direita são as top mais belas, enquanto as de esquerda têm mais pelo que as cadelas”, dizia um trecho da letra.

Na semana passada, o vice de Bolsonaro, General Mourão, declarou que famílias pobres “só com mãe e avó” são “fábricas de desajustados”, num absurdo desrespeito e preconceito contra milhões de mulheres que dignamente chefiam famílias e criam sozinhas filhos e netos no país.

As declarações são semelhantes às falas do próprio Bolsonaro que já disse que “mulher feia não merece ser estuprada”, que “fraquejou” quanto teve uma filha, que mulher tem de ganhar menos que homens, sem contar a defesa de torturadores da ditadura, apologia à violência contra gays, entre vários outros absurdos.

“No próximo dia 29 as mulheres estarão, novamente, a frente de um importante movimento político no país. Vamos às ruas lutar contra um projeto que escancara a naturalização do machismo e reafirma a utilização dessa ideologia para explorar ainda mais as mulheres e os demais setores oprimidos da classe trabalhadora”, afirma a integrante do  MML (Movimento Mulheres em Luta), Marcela Azevedo.

“Contudo, sabemos que esse projeto não está restrito a um único representante. Mesmo que mascarado ou velado, esse é o projeto defendido por qualquer um que mantenha suas ações no marco do capitalismo e não aponte a necessidade de construir uma sociedade socialista, para garantirmos, de fato, a emancipação das mulheres e a libertação de negros e negras, LGBTs e toda a classe”.

“Por isso, nós do MML vamos com tudo construir as manifestações do próximo sábado, para derrotar o Coiso, mas também para fazer um chamado à mulherada a não depositar suas ilusões no “mal menor” e não aceitar nada menos do que todos os nossos direitos historicamente negados”, afirmou.

 

#EleNão

 

#ContraTodosQueOprimem

 

#ContraOMachismoEAExploração

 

Os atos dia 29 no Brasil

 

SÃO PAULO

São Paulo: 15h – Largo da Batata

São José do Rio Preto: 12h – Esplanada do Teatro Pedro II

São José dos Campos: 09h – Praça Afonso Pena

Santos: 15h – Praça da Independência

Americana: 14h – Praça Comendador Muller

Franca: 10h – Largo do Rosário

Campinas: 15h – Rua Major Claudiano

Botucatu: 11h – Praça do Bosque

São Roque: 11h – Praça da Matriz

Jaboticabal: 10h – Praça 9 de Julho

Taubaté: 16h – Praça Santa Terezinha

Araraquara: 14h – Praça Santa Cruz

Bebedouro: 10h – Praça Barão do Rio Branco

Guaratinguetá: 09h – Praça Conselheiro Rodrigues

Jundiaí: 16h – Praça Monsenhor Marcondes

São Carlos: 09h – Local a definir

Ilha Bela: 18h – Praça do Perequê

 

*

Saiba mais e veja outros locais das manifestações AQUI.

Xenofobia e burrice

Nota da Pedra Lascada: Artigo de Luis Ruffato, sem meias palavras. Publicado no sítio  El País em maio de 2017. Convém ler 😉

*

Assistir a pronunciamentos irados de descendentes de portugueses, espanhóis, italianos, alemães e japoneses contra os imigrantes deveria ser apenas risível, mas é preocupante

Há uma importante diferença entre ignorância e burrice. A ignorância está relacionada à falta de conhecimento sobre algo ou alguma coisa. Já a burrice é a incapacidade de compreender a realidade, por teimosia ou arrogância. A ignorância é perdoável, pois muitas vezes deve-se à baixa escolaridade ou a um sistema de ensino ruim. Já a burrice não se justifica — é a obstinação com que certas pessoas se agarram a ideias pré-concebidas, independentemente de seu grau de instrução ou a que classe social pertença. Geralmente, a burrice prospera em espaços adubados pela intolerância. Quanto menos luz, mais sentimentos estúpidos de superioridade (étnicos, religiosos ou sociais); quanto mais escuridão, mais afundamos no atoleiro. Em um país hipócrita, racista, violento e corrupto como o Brasil, a burrice impera com o vigor do animal que empresta, injustamente, seu nome ao substantivo. Continuar lendo Xenofobia e burrice

Sobre “13 Reasons why” ou, simplesmente, “Os 13 porquês”.

Li diversas críticas antes de chegar efetivamente à série. A maioria qualificava como “necessária”, mas li algumas bem duras que simplesmente recomendavam às pessoas que não assistissem, inclusive argumentando que há orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS) para que não se produza materiais desse tipo.

Fato é que, à medida em que eu ia assistindo, compreendi muito bem por que muitos conseguiram apenas dizer que a série é “necessária”.

Assumi diferentes papéis enquanto assistia: mãe, professora, adolescente, filha, aluna. Tem a ver com uma capacidade que precisa urgentemente ser exercitada na sociedade atual: empatia. Com essa história de “baleia azul”, então… Continuar lendo Sobre “13 Reasons why” ou, simplesmente, “Os 13 porquês”.

Sobre reformas, lados e luta por direitos

Não acredito que os cidadãos comuns que eu conheço sejam realmente a favor das reformas como estão. E me preocupa quando demonstram desconhecerem os textos das reformas, criminalizando aqueles que não se rendem como eles e vão às ruas dizer “assim do jeito que está não queremos!”. Digo isso porque não vi nenhum argumento favorável às reformas que não fosse o fim das “mamatas” dos sindicatos.

É por desinformação que os impede de entender que somos contrários à reforma trabalhista, à reforma da previdência e à lei da terceirização irrestrita da forma como estão propostas? Será que estes que apenas reproduzem os gritos de movimentos como o MBL e o Vem pra Rua sabem que a tal reforma trabalhista que eles dizem que acaba com a “boquinha” dos sindicatos tem cerca de 100 alterações na CLT? Será que sabem que, ao contrário deles que dizem “a culpa do Temer estar lá é de quem votou no PT”, o MBL, o Vem pra Rua e o partido queridinho deles fecha com o Temer, por princípios afins, não como falta de opção, por acreditarem no seu modo de vender os brasileiros e de fazer política? Aliás, quanta infantilidade apoiar o Temer só pra se vingar de petistas… E se acham muito melhores que estes…

Reformas são necessárias e urgentes. A reforma política deveria ser a primeira. Por que não estamos discutindo esta? Porque temos uma economia para “recuperar”, será o seu argumento?! Mantendo bandidos no poder, independente de quantas investigações sejam feitas, de quantas condenações se efetivem, acreditando que a cada 2 anos escolheremos, entre os bandidos, aquele que “rouba, mas faz” ou aquele que “é rico e não precisa roubar nem governar para todos os cidadãos” ou aquele que acha que todos os problemas do país se resolvem colocando uma arma na mão de cada brasileiro?

Com o sangue nos olhos para humilhar e eliminar “petistas” e “esquerdopatas”, demonstrando que democracia e cidadania não são princípios para si, estes brasileiros raivosos preferem amargar uma vida dura a aceitarem estar ao lado de quem tenha um posicionamento político diferente do seu, ainda que essas reformas, do jeito que estão, não privilegiem nem os de direita nem os de esquerda, piora a vida de todos.

É por desinformação ou por maldade?

blog

Ateus “saem do armário” religioso e reclamam de difícil aceitação no Brasil – Notícias – Cotidiano

NOTA DA PEDRA LASCADA: Segue link de uma reportagem interessantíssima sobre o ateísmo no Brasil, publicada hoje no sítio da UOL. Para quem quiser saber mais sobre a questão do ateísmo no Brasil, uma sugestão é visitar a página da ATEA (Associação Brasileira de Ateus e Agnósticos), que luta pelos garantia do Estado laico e pelos direitos à liberdade de crença e religião, dois pilares da nossa Constituição Federal frequentemente desrespeitados em nosso país.

Ateus “saem do armário” religioso e reclamam de difícil aceitação no Brasil

Fonte: Ateus “saem do armário” religioso e reclamam de difícil aceitação no Brasil – Notícias – Cotidiano