O Proletário e o Sonho

Há um muro de concreto entre o céu e a Terra

Sonhando ser o teto uma saída
O camarada proletário constrói sua astronave
Com sete cores e com sete chaves
Banhado pela luz da Lua e pela Luz do Sol.

Sem perceber, o camarada proletário sonha

E nuvens alvas movem-se sob os seus pés
Mas o proletário já não pode
Abaixar a cabeça e calar-se
Pois dentro dele há um ideal e um grito
Às vezes de dor, às vezes de desespero.

Sonha, camarada proletário,
Sonha, que o futuro virá!

[M.S.]

Uma consideração sobre “O Proletário e o Sonho”

  1. Gostei muito… quando li quase me encontrei.
    Pena que me perdi de novo.
    Parabéns Marcelo pelos textos, como sempre escreve muito bem e obrigada por compartilhar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s