Análise crítica: “Reflexões Sobre o Multiculturalismo na Escola e na Formação Docente”, de Canen & Moreira – Parte 4

Evidentemente, as classes sociais não se constituem de um todo homogêneo com sujeitos cujos interesses e princípios são os mesmos ou sequer similares, e nesse sentido há que se valer dos estudos culturais para compreender as ações, pensamentos e construções identitárias dos grupos no interior das classes. Nesse sentido, podem ser muito úteis e pertinentes as contribuições de Canen e Moreira quando defendem, por exemplo, que “às situações de violência real devem-se acrescentar os efeitos da violência simbólica decorrentes do processo de globalização excludente que, ao procurar homogeneizar manifestações culturais, termina por anular vozes e experiências dos grupos oprimidos”. Continuar lendo Análise crítica: “Reflexões Sobre o Multiculturalismo na Escola e na Formação Docente”, de Canen & Moreira – Parte 4

Análise crítica: “Reflexões Sobre o Multiculturaismo na Escola e na Formação Docente”, de Canen & Moreira – Parte 3

Algumas considerações (in) pertinentes: pensamento neoliberal e discurso pós-moderno

A preocupação com a pluralidade cultural, com o respeito e valorização dos grupos culturais e étnicos é fundamental para a construção de uma sociedade democrática. O diálogo, neste sentido, assim como propõem Conem e Moreira, deve ser o princípio básico, a essência de uma educação voltada para a transformação social. O “monopólio do diálogo”, a hegemonia da fala e do poder político, representado e concomitantemente perpetuado pela concentração do poderio econômico nas mãos de uns poucos ainda são entraves grandiosos para a superação da segregação social e discriminação cultural em nossa sociedade. Talvez por isso mesmo é que Paulo Freire nos alerta para a impossibilidade de um verdadeiro diálogo entre os sujeitos da classe oprimida e os sujeitos da classe dominante. O diálogo, define Paulo Freire (1986: 123) “é o momento em que os humanos se encontram para refletir sobre sua realidade tal como fazem e re-fazem(…)“. Através do diálogo, refletindo juntos sobre o que sabemos e não sabemos, podemos, a seguir, atuar criticamente para transformar a realidade. Continuar lendo Análise crítica: “Reflexões Sobre o Multiculturaismo na Escola e na Formação Docente”, de Canen & Moreira – Parte 3

Cai, não cai… mas, afinal, o que deve cair?

“Nossa alternativa deve ser criar as condições para barrar as reformas, seja por qual meio venham a se impor. Nosso dever é afirmar que a presente crise não clama por mais democracia representativa, mas indica seu mais evidente limite, o que exige urgentemente uma nova forma política”. (Mauro Iasi)

Veja o artigo completo, publicado no Blog da Boitempo, clicando no link abaixo:

http://wp.me/pB9tZ-4AT

Uma questão na madrugada

BLOG PEDRA LASCADA

Não se trata do homem E seus atos, simplesmente. Trata-se de uma homogeneidade: Tempo, vida, esperança... Da brisa do mar Do cheiro de peixe Desse Mediterrâneo Atlântico ou Pacífico... Do registro em minha Memo-identidade Em meus neurônios fatigados... Dessa madrugada em casa Dos espíritos que rondam O amanhecer... Não se trata da imagem Do homem frente ao espelho. Trata-se de seu reflexo Perante o mundo: As coisas naturais Artificiais e sobrenaturais... Nomes talhados Nas árvores, nas rochas Nos arranha-céus Emaranhados montanhosos... A Patagônia tão perto O Saara tão perto: A impressão que se tem Desse silêncio deserto Desse momento de brilho Desse instante incerto... Não se trata da figura Dos figurinos menos ainda. Mas sim de sua representação Da ação que tece e destece Um novelo que não é de lã Lá no Ibirapuera No Amazonas e nessa vila Humaitá, Guarani ou América... Das águias, do Progresso (Que não chega)…

Ver o post original 65 mais palavras

Análise crítica: “Reflexões Sobre o Multiculturalismo na Escola e na Formação Docente, de Canen & Moreira – Parte 2

Ainda que se valendo de categorias questionáveis como pós-modernismo – ideologia especifica do neoliberalismo (CHAUÍ apud FRIGOTTO, 1995: 79), no campo da esquerda –  e de uma suposta superação do conceito marxista de cultura, Canen e Moreira não negam o papel dos conflitos e das relações de poder no seio da sociedade, ao contrário, os realçam, afinal, não pode haver “educação multicultural separada dos contextos das lutas de grupos culturalmente dominados, que buscam modificar, por meio de suas ações, a lógica pela qual, na sociedade, os significados são atribuídos.” Aliás, para eles, “a educação multicultural não é uma concessão, mas sim o resultado de lutas iniciadas no âmbito de movimentos sociais e populares visando a uma participação mais igualitária na vida social e cultural”. Continuar lendo Análise crítica: “Reflexões Sobre o Multiculturalismo na Escola e na Formação Docente, de Canen & Moreira – Parte 2

#OcupaBrasília! Fascistas não passarão!!!

Do perfil do PSTU Nacional no Facebook:

A primeira aparição do governo desde que a manifestação começou, foi para avisar que vai reforçar a repressão. O ministro da Defesa, Raul Jungmann, fez um pronunciamento avisando que, a pedido de Temer e do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, foi solicitada uma Ação de Garantia da Lei e da Ordem. Isso significa que estão chegando tropas da Força Nacional de Segurança para proteger o Palácio do Itamarati e os ministérios. Depois, simplesmente virou as costas e saiu sem explicar nada. Deixou os jornalistas falando sozinhos, fazendo perguntas ao mesmo tempo sem nenhuma resposta. Não se sabe que medidas são essas, não se sabe sequer o tamanho do efetivo. Continuar lendo #OcupaBrasília! Fascistas não passarão!!!

Análise crítica: “Reflexões Sobre o Multiculturalismo na Escola e na Formação Docente”, de Canen & Moreira – Parte 1

NOTA DA PEDRA LASCADA:  A resenha que seguirá aqui em quatro partes foi escrita em 2005 como um trabalho de análise crítica para a disciplina Formação de Equipe Escolar, do curso de Pedagogia do Centro Universitário Fundação Santo André. Reencontrei-a em meio a arquivos que estava reorganizando e resolvi compartilhar, pois resgata uma polêmica que mantenho com o conceito de pós-modernismo – polêmica esta que inspirou, por ironia proposital, o anacrônico nome deste Blog – Pedra Lascada. Autorizo a reprodução total ou parcial do mesmo para fins não comerciais, desde que devidamente citada a fonte e a autoria. [M.S.] Continuar lendo Análise crítica: “Reflexões Sobre o Multiculturalismo na Escola e na Formação Docente”, de Canen & Moreira – Parte 1

Variáveis

 

Entre aquilo que a gente
Deseja que seja
E aquilo que acontece,
Ou permanece...

Entre os sonhos e as sinas;
Entre os fatos e os atos
E alguns retratos...

Entre as posses
E as possibilidades;
Entre as passagens
E as nossas viagens...

Entre as quadras,
As quadrinhas,
A quadrilha do poeta
(e etecétera)...

Entre as distâncias
E lembranças
De nada que foi
De tudo que não será...

Alimentamos
- eu em ti,
você em mim –
um jogo sem fim:

Nem não, nem sim.

[M.S]

Diretas, Indiretas e Gerais

Alguns amigos têm me enviado convites para assinar petições, compor grupos ou curtir páginas em defesa das “diretas já” para presidente da república.

Lamento desapontá-los, mas não defendo eleições para presidente apenas, muito menos com as regras atuais, que possibilitariam que corruptos e denunciados disputem as eleições na maior cara de pau, como se fossem políticos ilibados. Além de que não acredito em salvadores da pátria.

As tais diretas já para presidente trazem à baila figuras como Lula, Bolsonaro e outros tantos sujeitos dos 28 partidos envolvidos em corrupção, com o prejuízo de manter no congresso e no senado centenas de políticos igualmente envolvidos em falcatruas e comprometidos com projetos e reformas antipopulares e antitrabalhadores.

Continuar lendo Diretas, Indiretas e Gerais

Ato na Avenida Paulista: Fora Temer e todos os corruptos, já!

IMG-20170518-WA0006

CSP-Conlutas participará de ato unificado neste domingo, às 14h na Paulista.

Do perfil da CSP-Conlutas no Facebook:

Na tarde desta sexta-feira (19), em reunião emergencial, as Centrais Sindicais determinaram chamar atos pela derrubada de Temer e de suas reformas neste dia 21/5. Esteve presente nesta reunião a dirigente da CSP-Conlutas, Joaninha Oliveira.

Em São Paulo, a CSP-Conlutas participa de ato na Avenida Paulista, para dizer, em alto e bom som, “Fora, Temer e os corruptos, já!” e protestar contra as reformas trabalhista e da Previdência. Continuar lendo Ato na Avenida Paulista: Fora Temer e todos os corruptos, já!