O discurso de Angela Davis na Marcha das Mulheres contra Trump

Por Angela Davis. Confira abaixo o discurso proferido pela filósofa e ativista Angela Davis, autora de Mulheres, raça e classe, na Marcha das Mulheres [Women’s March] contra Donald Trump realizada no último sábado, dia 21 de janeiro de 2017, em Washington. A tradução é de Juliana Borges. Confira aqui a transcrição integral do discurso em inglês, e […]

via O discurso de Angela Davis na Marcha das Mulheres contra Trump — Blog da Boitempo

 

Capitalismo e expressão corporal

BLOG PEDRA LASCADA

Nota da Pedra Lascada: O presente artigo (constituinte de um dos trabalhos do curso de Pós-Graduação em Ed. Infantil) esboça alguns pensamentos suscitados pela observação de uma apresentação (La Nouba) do famoso Cirque Du Soleil. Certamente carece de aprofundamento e maiores argumentações, mas pode servir como um disparador de novas reflexões, favoráveis ou contrárias, que sejam. Ao elaborá-lo, tomei a liberdade de utilizar um relato (também trabalho da Pós) de uma colega educadora em SBC, Marcleide Pilar – relato que considero de uma profunda sensibilidade e humanidade. [M.S]

“Esta lona furada/ – parece que ninguém/ lhe dá nada!… – /Já viveu histórias e loucuras,/ Sonhos que passaram,/ Tantas aventuras./ Abrigavam os homens/ Mais fortes,/ Muitos enfrentando a morte/ E embalava as noites/ Com modinhas/ e mulheres a bailar/ (…) Sei que ninguém acredita/ Que, mesmo rasgada, é bonita./ É só reparar e não ter pressa/ A lona é como um…

Ver o post original 1.942 mais palavras

Pery recua e edita outro manual de conduta

Reconhecer os equívocos e recuar é um gesto de grandeza. Neste sentido, temos de dar os parabéns!

As reflexões que fizemos, no entanto, permanecem necessárias. É urgente garantir melhores condições de trabalho para todos os servidores.

*

Do sítio Diário do Grande ABC:

Presidente da Câmara suaviza texto depois de polêmica, mas derrapa no Português

Fonte: Pery recua e edita outro manual de conduta – Diário do Grande ABC – Notícias e informações do Grande ABC: pery cartola,manual,câmara de são bernardo

Brincadeiras à parte, precisamos falar sobre condições de trabalho

condicoes-de-trabalho

Após a estipulação de um manual de condutas para os servidores públicos da Câmara Municipal São Bernardo do Campo o assunto ganhou proporção nacional.

Entre os conteúdos do manual constam recomendações de como se vestir, que cores de esmalte usar, tipo de perfume, como cumprimentar, como não ser “deselegante” para encerrar uma conversa que se prolonga ao telefone…

Nas redes sociais frequentadas por servidores públicos existem até os que (por complacência, benevolência ou verdadeira concordância mesmo) defendem a medida, mas ao que parece estes são minoria.

Comentários críticos, memes e chistes começam a tomar conta das redes porque, de fato, certas recomendações constantes na dita cartilha são surreais e anacrônicas, para dizer o mínimo.

Brincadeiras à parte, precisamos falar sobre isso… Não sobre cada um dos itens da cartilha em si, porque os meios de comunicação já estão abordando o tema e divulgando o conteúdo de forma exaustiva.

Precisamos falar sobre o que está está implícito, o que não está sendo dito (e que verdadeiramente interessa). Continuar lendo Brincadeiras à parte, precisamos falar sobre condições de trabalho

Ateus “saem do armário” religioso e reclamam de difícil aceitação no Brasil – Notícias – Cotidiano

NOTA DA PEDRA LASCADA: Segue link de uma reportagem interessantíssima sobre o ateísmo no Brasil, publicada hoje no sítio da UOL. Para quem quiser saber mais sobre a questão do ateísmo no Brasil, uma sugestão é visitar a página da ATEA (Associação Brasileira de Ateus e Agnósticos), que luta pelos garantia do Estado laico e pelos direitos à liberdade de crença e religião, dois pilares da nossa Constituição Federal frequentemente desrespeitados em nosso país.

Ateus “saem do armário” religioso e reclamam de difícil aceitação no Brasil

Fonte: Ateus “saem do armário” religioso e reclamam de difícil aceitação no Brasil – Notícias – Cotidiano

 

“Janis Joplin e o amanhã que nunca chegou”, artigo de Luciana Candido

NOTA DA PEDRA LASCADA: Eis um artigo que não apenas conta um pouco da história dessa grande cantora e intérprete, como também faz com que tenhamos vontade de ouvir e conhecer ainda mais… Sim, Pearl é o melhor disco de Janis Joplin! E dizemos isso sem medo de compactuar com o lugar comum, mas nossa preferida é ainda, pelo conjunto da obra, a música Little Girl Blue (que não faz parte deste álbum), de Richard Rodgers e Lorenz Hart, tornada inesquecível por Nina Simone e eternizada nos arranjos e vozes de Janis Joplin.

*

Por Luciana Candido, em 2013

“É preferível viver dez anos intensamente a 70 anos vegetando em frente a uma televisão”. E foi o que Janis Lyn Joplin fez. A rainha do rock completaria 70 anos no último dia 19 janeiro.

Como não se apaixonar por aquela voz forte e rouca, típica das divas? Ouvir Janis Joplin é entrar em transe. E qual não é a surpresa quando se vê, pela primeira vez, uma foto daquela mulher branca, cantando de um jeito que só as grandes cantoras negras são capazes? Janis Joplin era, decididamente, uma roqueira filha do blues & soul.

Nascida no Texas, em Port Arthur, em 19 de janeiro de 1943, Janis foi diferente em tudo. Começou a cantar ainda criança num coral da cidade. Dotada de uma inteligência acima da média, era discriminada pelos colegas de escola. Janis era uma inconformada desde sempre, o que lhe rendeu poucos amigos. Ela não seguia padrões. Expressava isso até no jeito de vestir. Fazia sua própria roupa, ao estilo geração beat. Também diziam que não era bonita. “Eles me marginalizaram na escola, e, finalmente, em todo o estado”, contava.

A cidadezinha texana ficou pequena para sua genialidade e Janis foi parar em Austin, na Universidade do Texas, em 1960, onde começou a cantar folk e blues. Três anos depois, foi para São Francisco e começou a cantar profissionalmente.

Foi também nessa época que ficou dependente de drogas. Janis sempre bebeu muito, mas foi a heroína que começou a afetar de fato a sua vida e carreira. A cantora teve de voltar ao Texas para se recuperar. “Posso não durar tanto quanto outras cantoras, mas sei que posso destruir-me agora sem me preocupar demais com o amanhã.” Assim encarava sua vida.

*

Para ler todo o artigo, clique aqui.

*

Outra dica é o documentário “Janis Joplin, Little Girl Blue”, de Amy Berg, disponível na Netflix. Para você ficar com vontade de assistir, compartilhamos a seguir o vídeo do Canal NB, do Youtube (com a liberdade de discordar do comentarista, que afirma que as atitudes de Janis nada tinham de contestação política…)

Relembre vírus e golpes no WhatsApp de 2016 e fique longe de problemas

NOTA DA PEDRA LASCADA: Para você, que de boa fé acredita em tudo que é “promoção”, corrente e até informações sobre desaparecidos que circulam pelas redes sociais e sai por aí compartilhando, “na maior boa vontade”, ou para você que é igual a São Tomé que só acredita vendo e paga (como paga!!!) pra ver e depois se lasca mais que pedra lascada, o sítio Techtudo preparou no final do ano uma retrospectiva bem interessante sobre as principais formas de propagação de vírus pelo Whatsap em 2016. Vale a pena ler!!! 

Do sítio Techtudo

A retrospectiva 2016 do WhatsApp também foi marcada por muitos vírus e golpes aplicados pelo aplicativo no celular e PC. Para começar 2017 livre desses problemas, vale relembrar o que aconteceu ao longo do ano e manter o seu mensageiro seguro. Versões falsas do app prometem recursos extras mas não passam de uma farsa, como o WhatsApp Gold. Além disso, cupons que prometem descontos em lojas, créditos para celular e até passagens aéreas são usados para roubar dados pessoais e financeiros dos usuários brasileiros.

Curiosos também são pegos com falsas ferramentas que prometem mostrar quem visitou o seu perfil ou revelar conversas de amigos. Quer conhecer todos? Então, veja nove casos do WhatsApp que aconteceram no Brasil em 2016 para não cair em nenhum deles.

Para ler todo o conteúdo, clique aqui.