A greve de 2015 e os acordos de gabinete

“NEGOCIAÇÃO”…

A negociação realizada pela direção/chapa um trouxe grandes prejuízos aos servidores públicos: ficamos sem aumento real e sem reposição da inflação em 2015 e cerca de 200 aposentados foram excluídos do acordo coletivo, perdendo até mesmo o direito ao abono de Natal que sempre tiveram.

No meio da greve a pauta de reivindicação foi simplesmente descartada pela direção sem qualquer consulta aos trabalhadores. O reajuste efetuado em 2016 – fruto da pressão realizada pelos servidores grevistas – não cobriu as perdas salariais acumuladas em anos sem aumento real; o poder de compra dos servidores diminui a cada dia, consumido pela inflação, pelos altos impostos e pelas altas tarifas de água, luz e transporte.

Para os servidores grevistas, a péssima negociação feita pela direção acarretou em descontos que, na maioria dos casos, foram maiores do que o abono recebido. Não bastasse tudo isso, a direção  negociou com Marinho para que os grevistas ficassem com faltas mesmo tendo compensado os dias parados!

2015-06-01 10.58.06
Servidores indignados com a má negociação da direção do sindicato

… OU AÇÃO ENTRE AMIGOS?

Quando trabalhadores reivindicaram a eleição em assembleia de uma comissão para participar das negociações junto com a direção do sindicato, esta, de forma intransigente e autoritária não permitiu nem que apresentassem a proposta ao microfone, mas incluiu nas reuniões de negociação representantes do Sindicato dos Metalúrgicos e do Sindicato dos Químicosambos, assim como Chagas, do mesmo partido do prefeito, o PT.

Talvez isso explique o esforço descomunal da direção marinheira em evitar que os trabalhadores fossem aos eventos de inaugurações onde Marinho estava…

 

FURA-GREVE

Fato revoltante que muitos não sabem, enquanto os servidores grevistas bravamente resistiram às inúmeras pressões e arcaram com os prejuízos acarretados pelas faltas e pelos descontos (muitos até perdendo o direito ao descanso no recesso escolar)  nos últimos dias da greve o presidente do sindicato deixou seu posto para voltar ao trabalho! Vestiu a farda e foi fazer um cursinho para ascensão na carreira e se tornar supervisor da guarda.

Tal fato não é nenhuma ilegalidade, mas convenhamos! Uma direção de sindicato tem de ser a primeira a dar o exemplo na luta! Não pode querer convencer os trabalhadores a fazerem greve se nem ela mesmo cumpre a greve aprovada em assembleia!

POR UMA DIREÇÃO DEMOCRÁTICA, QUE RESPEITE E CUMPRA AS DECISÕES DAS ASSEMBLEIAS!

VOTE CHAPA 2 – OPOSIÇÃO UNIFICADA!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s