Recesso escolar para auxiliar de limpeza e demais educadores deve ser direito e não moeda de troca em época de eleições!

Slide2Nós da CHAPA  2  consideramos que todos os trabalhadores nas escolas, independente do cargo, desempenham função educativa, e por isso não apenas merecem como precisam ser devidamente valorizados, precisam ter direitos iguais aos dos demais profissionais que atuam na Educação.

Foi com base no princípio “SOMOS TODOS EDUCADORES” e sob o lema “NENHUM PROFISSIONAL FORA, NENHUM DIREITO A MENOS”, que de 2010 a 2013  ajudamos a organizar mais de 9000 trabalhadores em educação na construção da proposta de Estatuto dos Profissionais da Educação, contemplando profissionais de todos os cargos, incluindo os auxiliares de limpeza, para garantir como direito, e não como favor:  formação em serviço, progressão na carreira, evolução salarial, processo de remoção com critérios justos e objetivos, acesso aos cargos por concurso público e, entre outras coisas, recesso escolar de verdade, sem ter que trabalhar horas a mais para compensar.

Com a conivência e omissão da direção do sindicato que fomentou a divisão entre diferentes segmentos da educação, o governo desrespeitou o processo democrático e impôs um projeto de estatuto antieducação e antitrabalhador, cujas consequências caóticas os profissionais da educação sofrem dia após dia.

 A chapa 1 vem fazendo uma propaganda enganosa a respeito do recesso para os auxiliares de limpeza, alardeando como conquista um concessão que o governo dá quando interessa a ele (geralmente em anos eleitorais) para favorecer a sua imagem e a imagem de seus parceiros no sindicato.

A chapa 1 nunca lutou para que essa concessão do recesso escolar se torne um direito, deixando os trabalhadores reféns das vontades do prefeito!

NOSSA LUTA É PELA IGUALDADE DE DIREITOS ENTRE TODOS OS TRABALHADORES!

JUNTOS VAMOS LUTAR PARA QUE TEMPO DE DESCANSO, FORMAÇÃO EM SERVIÇO, EVOLUÇÃO FUNCIONAL, MELHORIAS NAS CONDIÇÕES DE TRABALHO E DE SALÁRIO… SEJAM DIREITOS GARANTIDOS LEGALMENTE PARA TODOS OS SERVIDORES, PARA QUE NENHUM GOVERNO OU DIREÇÃO SINDICAL TORNE OS TRABALHADORES REFÉNS DE SEUS CAPRICHOS.

 CHAPA 2 – OPOSIÇÃO UNIFICADA

https://oposicaounificadachapa2.wordpress.com/

oposicaounificada.sbc@gmail.com

 

Projeto de lei que prejudica servidor público pode ser votado na próxima semana

Logo_PLP257-Cópia-768x439

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, afirmou na terça-feira (26) que pretende votar o Projeto de Lei Complementar (PLP) 257/2016 na próxima semana. O PLP 257/16 consta como pauta única da Sessão Deliberativa Extraordinária de segunda-feira (1/8), marcada para as 16h.

O projeto faz parte do pacote de ajuste fiscal iniciado pelo governo federal ainda em 2014, e traz medidas como a suspensão dos concursos públicos, o congelamento do salário mínimo e dos salários dos servidores, o não pagamento de progressões e outros direitos (como gratificações) para os servidores, a destruição da Previdência Social e a revisão dos Regimes Jurídicos dos Servidores.

Veja também: Presidente da Câmara quer votar PLP 257 na semana que vem 

“Marcamos a reunião de líderes e vamos marcar Plenário [na semana que vem] para segunda, terça e quarta de manhã. Espero que a gente possa ter produtividade”, disse Rodrigo Maia à Agência Câmara. Continuar lendo Projeto de lei que prejudica servidor público pode ser votado na próxima semana

Sobre a assembleia convocada por auxiliares em educação

8ab05-lutas

Em 27.03.2016, a direção do Sindserv  publicou uma nota acusatória no site da entidade a respeito de convocação feita por auxiliares em educação para assembleia.  ESCLARECEMOS:

  1. A assembleia convocada por auxiliares em educação para o dia 28 de julho não é atividade organizada pela CHAPA 2, e sim por um coletivo de auxiliares que há anos se mobiliza para concretizar suas reivindicações;
  2. A CHAPA 2 defende a redução de jornada para outros segmentos e é solidária com os auxiliares nesta luta, mantendo em perspectiva a luta pela garantia de formação em serviço – um dos pontos estruturantes do projeto de estatuto construído pelos trabalhadores;
  3. Solidariedade se demonstra na prática, e não em discursos vazios de quem afirma estar “imbuído de esforços” sem de fato empreender esforços… Por isso, a advogada da CHAPA 2 quando solicitada pelo coletivo de auxiliares se disponibilizou a apoiar, respeitando a autonomia de decisão desse coletivo;
  4. Pela Constituição Federal, liberdade de reunião independe de autorização. Assembleia é uma reunião para tratar e decidir sobre temas de interesse comum; assim, é falsa a afirmação de que somente a direção do sindicato poderia convocar assembleia e de que o trabalhador que participar dela estaria em risco. Percebe-se claramente nestas afirmações fantasiosas tentativa de intimidar servidores e um nível absurdo de burocratização e de autoritarismo;
  5. Outros segmentos se organizaram livremente para debater suas questões específicas, elegeram representantes próprios e apresentaram diretamente sua pauta de reivindicações ao governo e nunca foram acusados de divisionistas, irresponsáveis ou que estariam colocando trabalhadores em risco;
  6. Se uns podem e outros não, qual o critério que a direção adota para ser tolerante com uns e truculenta com outros?
  7. Quem não respeita as instâncias do sindicato é a direção governista: ao invés de ter feito assembleias para que os servidores elegessem seus pares nos comitês sindicais de base, compôs os comitês com “representantes” indicados por ela mesma, conforme seus critérios e interesses;
  8. Se a direção do sindicato agisse com transparência e democracia, acolhesse as reivindicações e respeitasse a autonomia dos servidores, isto é, se a direção tivesse cumprido seu papel, certamente os auxiliares, assim como outros segmentos, organizariam a assembleia no sindicato, com apoio da direção.
  9. A CHAPA 2 – OPOSIÇÃO UNFICADA respeita a liberdade de expressão, opinião e reunião, assim como respeita as decisões das assembleias do sindicato e incentiva a participação dos trabalhadores na vida sindical. Desejamos e lutamos para que os servidores se organizem dentro do sindicato, mas o terrorismo costumeiramente praticado pela burocracia sindical faz os trabalhadores terem a certeza de que isso somente será possível com a mudança de direção.
  10. A CHAPA 2 – OPOSIÇÃO UNIFICADA respeita a liberdade de expressão, opinião e reunião, assim como respeita as decisões das assembleias do sindicato e incentiva a participação dos trabalhadores na vida sindical. Desejamos e lutamos para que os servidores se organizem dentro do sindicato, mas o terrorismo costumeiramente praticado pela burocracia sindical faz os trabalhadores terem a certeza de que isso somente será possível com a mudança de direção.

 A nota publicada pela direção do sindicato, que concorre à reeleição, contém informações distorcidas, levianas e ofensivas. Obviamente,  tem como objetivo tentar depreciar a imagem da CHAPA 2 e, desta forma, favorecer a si mesma – o que constitui uso impróprio de recurso do sindicato e fere a democracia.

 EXIGIMOS, com igual destaque, a publicação da presente nota em todos os meios de comunicação do sindicato nos quais foi veiculada a nota da direção/ chapa um.

CHAPA 2 – OPOSIÇÃO UNIFICADA

https://oposicaounificadachapa2.wordpress.com/

oposicaounificada.sbc@gmail.com

Chapa goernista novamente faz terrorismo contra servidores

Nem medobem  iniciou o processo eleitoral e a chapa governista já demonstra que calúnias, truculências e uso da estrutura do sindicato em benefício próprio continuarão dando o tom da sua campanha. E mais uma vez, na tentativa destrambelhada de atingir a OPOSIÇÃO UNIFICADA, a turma do chagas atirou no que viu e acertou no que não viu.

Ela viu uma convocação de assembleia feita por auxiliares em educação circulando nas redes sociais e interpretou como “apócrifa” a publicação compartilhada por pessoas com nome, sobrenome, carne e osso! Como o desespero cega a razão, viu nisso uma “oportunidade” para tentar depreciar a CHAPA 2, destilando mais acusações infundadas.

Porém, o que a CHAPA MARINHEIRA NÃO VIU é que existe vida pensante e pulsante fora do eixo da disputa sindical e, como não tem olhos para ver as necessidades dos servidores públicos, não viu que a mobilização dos auxiliares em educação pela redução da jornada de trabalho para 30 horas vem sendo construída desde a discussão do Estatuto da Educação e se intensificou com a implantação da jornada das creches, que acabou sobrecarregando os auxiliares em sala.

Não viu também que desde a aprovação do Estatuto os reflexos da desigualdade e disputa entre os profissionais vem se acirrando nas diferentes jornadas, nas ausências de formação para os demais segmentos, na sobrecarga de trabalho com a suspensão de contratações!!!

Não viu porque é ela que, junto com o governo, fomenta essa disputa e divisão, apesar de ter o péssimo hábito de acusar outros das mazelas que pratica.

Não viu que os auxiliares em educação, quando iniciaram a mobilização pela redução da jornada de trabalho, tentaram se organizar no sindicato, mas não receberam amparo dessa mesma direção que agora usa a estrutura do nosso sindicato para coagir e ameaçar servidores, tentando reprimir o direito democrático de liberdade de expressão e de reunião.

É que a chapa marinheira, acostumada a realizar modificações estatutárias e assembleias de prestação de contas na penumbra, não viu que a ditadura acabou e que desde 1988 existe uma Constituição Federal que garante a liberdade das pessoas se reunirem livremente para tratar de seus interesses, sem que para isso tenham de pedir autorização, ou estar sob a tutela de quem quer que seja.

Há 28 anos as pessoas têm garantido, ao menos em lei, o direito de decidirem sobre suas vidas, suas mentes e sobre seus corpos, debaterem, fazerem assembleias… Esta não é uma ação específica de sindicatos e condomínios!!!

2002: campanha eleitoral para presidente também adotava a estratégia suja de difundir pânico entre eleitores.

A PRÁTICA VEXATÓRIA DA DIREÇÃO/ CHAPA UM TEM UM NOME: ASSÉDIO MORAL!

A organização dos trabalhadores é universal e constitucional e a criminalização das lutas é sempre inaceitável, embora seja uma prática comum do patronato, de seus representantes nos governos e nas direções sindicais pelegas e burocratizadas. Tem sido hábito da direção marinheira agir como capataz  do patrão ao tecer calúnias contra opositores, ameaçar e tentar intimidar trabalhadores.

Uma direção sindical deve encampar a luta junto com os trabalhadores, ajudar a esclarecer, fomentar o debate crítico para o avanço das consciências, respeitar a autonomia, agregar e não segregar, construir e não destruir; acolher os trabalhadores quando estes tomam iniciativas de organização…

Para ser respeitada uma direção precisa compreender que autoridade se constrói na autoria da ação coletiva, e não por meio de bravatas, ameaças e imposições; deve ter a humildade de reconhecer que a representatividade legal não a torna única detentora do direito de reunir, comunicar, organizar, planejar, fazer… pensar!

Nosso sindicato ainda haverá de ser uma ferramenta a serviço dos interesses coletivos dos trabalhadores!

CHAPA 2 – OPOSIÇÃO UNIFICADA

Pelo fim do imposto sindical!

SINDICALISMO INDEPENDENTE E COMBATIVO SE FAZ COM FINANCIAMENTO PRÓPRIO

A CHAPA 2 luta pela autonomia e independência do sindicato para que os trabalhadores deixem de ser reféns de partidos, governos e centrais sindicais pelegas e governistas.

O imposto sindical é um dos elementos que tornam o sindicato submisso aos interesses patronais e que alimentam a famigerada burocratização dos sindicatos.

Por isso, defendemos que os servidores públicos de SBC discutam e decidam sobre este tema, construindo formas de financiamento das lutas que não sobretaxem os trabalhadores, que livrem o sindicato das amarras governistas e patronais e dos burocratas que se encastelam nas direções como se os sindicatos fossem o quintal de suas casas!

IMposto sindical em mi

Assista ao vídeo da CAMPANHA NACIONAL CONTRA O IMPOSTO SINDICAL e entenda como não só é possível, como também é necessário, lutar para acabar com o imposto sindical:

Os sofrimentos do jovem Wilhelm

BLOG PEDRA LASCADA

Por Vinicius Canhoto

Caro Werther, inquieta-me o coração receber tuas aflições por meio das cartas que chegam às minhas mãos, cada vez mais trêmulas, a cada chegada do carteiro. Sofro por ti, por mim, por nós ao ler nas tuas palavras que a cada dia morres mais um pouco. No entanto, por mais que me fales em tirar-te a própria vida, é justamente a vida que te tiras dela.

Meu amigo, embora os livros de História digam que a Idade dos Metais ficou na pré-História, te digo que ainda estamos na pré-História e que a Idade dos Metais ainda segue. Vivemos a Idade do Ouro de Tolo, ou melhor, a Idade do Ouro dos Tolos e, por isso, artistas em nosso convívio perecem. Nesta Idade, na nossa idade, os sonhos logo se vão.

Vejo-te sonhando, despertando, nascendo, morrendo e ressuscitando, mas não sei até quando.

Amo-te mais por saber que…

Ver o post original 270 mais palavras

É HOJE!!! 18H30 NA SEDE DO SINDICATO: ASSEMBLEIA DE ELEIÇÃO DA COMISSÃO ELEITORAL

O compromisso e a vontade dos trabalhadores nas duas primeiras eleições foram determinantes para que chegássemos até aqui. Mas, somente a mobilização da categoria unida e organizada impedirá novos golpes e garantirá que se concretize o desejo de mudança manifestado pela categoria..

A primeira tarefa de todos os que lutam para que o sindicato saia do controle do governo e retorne para o controle dos trabalhadores é participar da assembleia de eleição da comissão eleitoral. Precisamos eleger representantes comprometidos com a democracia a lisura e a transparência do novo processo eleitoral.

Novamente contamos com o empenho de todos que desejam mudanças, pois cada voto na OPOSIÇÃO UNFICADA – CHAPA 2 é um voto para resgatar o sindicato para  as mãos dos trabalhadores.

Participe da assembleia, convoque seus colegas, mobilize-se e ajude a OPOSIÇÃO UNIFICADA a construir um sindicato de luta, democrático, independente de governos, partidos e de centrais sindicais pelegas e governistas!!!