Truculência, fraude, descumprimento de liminar, furto de urna e manobras marcam novo golpe contra os servidores públicos na eleição do Sindserv. Golpistas: não passarão!

INFORMES SOBRE AS AÇÕES DA CHAPA 2 – OPOSIÇÃO UNIFICADA EM RELAÇÃO À ELEIÇÃO DO SINDSERV

 

A CHAPA 2 não reconhece o resultado da apuração dos votos, anunciado pela chapa 1 que finalizou sozinha a contabilização dos votos, após o sumiço da urna de dentro do espaço da apuração.

A CHAPA 2 registrou Boletim de Ocorrência denunciando o crime de furto da urna, apresentando inclusive os suspeitos.  Na última segunda-feira, comparecemos à delegacia e reiteramos o pedido de abertura de inquérito policial para que o crime seja esclarecido e os responsáveis pela furto da urna sejam devidamente punidos.
 

A urna 22 sumiu no momento em que a CHAPA 2 estava com 204 votos à frente da chapa governista. Além da urna 22, restavam ser apuradas os votos da urna 15 e da urna 1. Mesmo se fossemos considerar fidedigno o resultado da apuração apresentado pela chapa governista, os votos da urna 22 poderiam mudar o resultado da votação. Portanto, o furto da urna 22 prejudicou a CHAPA 2 e, por isso, quem a furtou teve como objetivo favorecer a chapa governista.

 

A CHAPA 2 vai representar contra a chapa governista, para que esta responda pelos crimes de calúnia, injúria e difamação cometidos conta integrantes da nossa CHAPA durante toda a campanha e, ainda, após a finalização do pleito.

 

Durante o processo eleitoral ocorreram inúmeras irregularidades, as quais estamos exigindo na justiça a apuração rigorosa. 

 

Durante o processo de coleta de votos, a CHAPA governista, por meio de seus mesários e apoiadores, dificultou a coleta  de votos e descumpriu a liminar que determinava a permanência das urnas fixas até as 20h. 

 

A urna da secretaria de educação, por exemplo, foi fechada às 17h, levada para a sede do sindicato, de lá retornou para a SE levando cerca de duas horas num trajeto que não dura mais que 10 minutos! A urna 14 ficou mais de três horas sem coletar votos, porque os mesários da chapa 1 tiveram seu carro parado em blitz ao tentar furar bloqueio policial; conforme vídeo divulgado, um dos mesários da chapa 1 saiu correndo com a urna 14, e agrediu nossa presidente de mesa. 

 

Durante a madrugada de quinta para sexta-feira pessoas ligadas à chapa governista invadiram a sala em que estavam guardadas as urnas – sala esta que deveria estar devidamente lacrada, mas cujo “lacre” consistia novamente em um adesivo de fácil remoção e recolocação.

 

Nesta mesma madrugada, após tentar apurar o ocorrido, um dos nossos advogados foi agredido por um membro da CUT apoiador da chapa governista e colocado pra fora da sede do sindicato aos empurrões. 

 

Momentos antes da apuração, novamente advogados apoiadores da CHAPA 2 foram expulsos de dentro do sindicato, o que fere a prerrogativa do exercício da função e se constitui numa ilegalidade absurda. Inclusive o advogado indicado pela OAB pela comissão de prerrogativas foi também

colocado para fora do sindicato.

 

O local da apuração dos votos foi mudado de última hora pelo presidente do sindicato, sem que houvesse reunião da comissão eleitoral para decidir sobre a mudança. 

 

No local da apuração dos votos, o clima era de pressão e intimidação. Ao contrário da primeira apuração, fomos intimados a não fotografar e não filmar a apuração; o público foi mantido para fora do espaço e não pode acompanhar a apuração nem os resultados parciais. A falta de transparência e a mudança da apuração para um espaço sitiado por seguranças que, segundo relatos, estariam armados, por si, já revela as más intenções.

 

Momentos antes da apuração, um alto representante da CUT gritou, para uma apoiadora nossa, que a CHAPA 2 ganhou as eleições, mas não ia levar. A mesma fala foi reproduzida por membro da chapa 1 a seus familiares. 

 

Ao contrário do que a chapa governista caluniosamente afirmou, a CHAPA 2 deixou o local da apuração dos votos somente depois que foram empreendidos todos os esforços para localizar a urna 22 dentro do espaço da apuração. Todas as mochilas, bolsas e sacolas foram vistoriadas. Mesmo sendo constatado o sumiço da urna 22 e, assim, mesmo diante de um crime eleitoral, a chapa 1 e seus apoiadores quiseram obrigar os membros da CHAPA 2 a permanecerem  no local da votação para legitimar a farsa da apuração. Sitiados por seguranças da CUT, e sendo ameaçados de agressão, solicitamos a presença da PM, que se recusou a aparecer, e em seguida solicitamos a presença da GCM. A nossa saída só foi liberada pelos cutistas após a chegada da GCM.

 

Durante a saída, um dos “seguranças” da CUT falou de forma  sarcástica, dirigindo-se a um membro da CHAPA 2, que foi a primeira vez que viu “morto votar na eleição do Sindserv”.

 

A lista de votação continha nomes de pessoas não habilitadas a votar, bem como nomes de pessoas habilitadas haviam desaparecido da lista atual;. 

 

Durante os dois dias de votação, agrupamentos de pessoas estranhas ao funcionalismo percorreram os locais de votação e teriam votado. Segundo denúncias, estas pessoas teriam votado com documentação falsa. Exigimos da justiça apuração rigorosa desta denúncia e, se for comprovada, que os responsáveis e os mandantes de tal crime sejam exemplarmente punidos. 

 

Temos notícias de que alguns servidores estão querendo se desfiliar do sindicato, como forma de protesto contra as manobras e golpes cometidos pela chapa governista. 

 

Além do BO e das ações na justiça, a CHAPA 2 apresentou recurso junto à comissão eleitoral exigindo a anulação do pleito, dadas as evidentes irregularidades cometidas.

 

A CHAPA 2 agradece imensamente a todos os servidores públicos e apoiadores que depositaram e depositam confiança em nossos propósitos e reafirma nossa disposição para continuar na luta em defesa do funcionalismo público e em prol de um sindicato independente de partidos, governos e centrais sindicais pelegas e governistas. 

 

Desfiliação não é solução! Aliás, a desfiliação favorece a chapa governista havendo novas eleições – e temos certeza que a justiça será feita! 

 

Pedimos a todos que aguardem os desdobramentos das ações que estamos realizando, e agradecemos imensamente a todos os servidores públicos e apoiadores que depositaram e depositam confiança em nossos propósitos!

 

Como escreveu Mario Quintana: “No fim tudo dá certo. Se não deu certo é porque não chegou ao fim”. 

 

Juntos vamos derrotar a pelegada, o governismo e o golpismo e construirmos uma alternativa democrática e de luta para os servidores públicos!

CHAPA 2- OPOSIÇÃO UNIFICADA

ALTERNATIVA DEMOCRÁTICA

“Nada será como antes!”

Uma consideração sobre “Truculência, fraude, descumprimento de liminar, furto de urna e manobras marcam novo golpe contra os servidores públicos na eleição do Sindserv. Golpistas: não passarão!”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s