Contra o golpe: Daremos o troco nas urnas!

O cumprimento do acordo salarial da greve está ameaçado: só um sindicato independente do governo pode lutar pelos trabalhadores

Segundo dados oficiais, as contas da prefeitura de São Bernardo estão com um rombo de 1,2 Bilhões, o que representa claramente uma ameaça ao cumprimento do acordo da greve deste ano. Pelos setores, ventilam-se boatos de que há sérios riscos de que até o pagamento das férias e do décimo terceiro podem ser afetado. Marinho não pensará duas vezes entre não pagar o salário dos servidores e gastar com propaganda e com as “obras” para que seu partido ganhe as eleições municipais do ano que vem. O prefeito gastou somente com vídeos de publicidade 1 milhão de reais!!!

Marinho precisa que seus partidários estejam no sindicato para continuar com essa gestão contra os servidores e tentar impedir que os trabalhadores se levantem contra esse possível ataque. Com a turma do Chagas, à frente do sindicato colocando em primeiro lugar seus próprios interesses, como sempre fizeram, Marinho terá mais facilidade em continuar implementado suas políticas antitrabalhadores e antipovo de desmonte, de terceirização e sucateamento do serviço púbico.

Mais do que nunca, para organizar a categoria nas lutas que virão os servidores públicos precisam de uma direção combativa, independente de governos e de centrais sindicais governistas e pelegas e que não submeta o sindicato a interesses político-partidários. Precisamos de um sindicato que não seja aliado do governo e sim dos servidores.

Quem é partidário de Marinho não enfrentará o governo em defesa do servidor!

Os trabalhadores não querem golpe e vão derrotar o governismo nas urnas novamente!

Teremos novas eleições para o Sindserv nos dias 26 e 27 de novembro; isso porque a atual diretoria não aceita a decisão da categoria e apela para o tapetão. Não mediremos esforços para derrotar esse golpe, inclusive nas novas eleições, com as quais não concordamos.  Trata-se de uma tentativa desesperada de manter o sindicato sob o controle dos governistas. Por isso continuamos apresentando uma alternativa independente e de luta – a Oposição Unificada – quantas vezes for preciso até que finalmente sejam derrotados o governismo, a burocracia e o atrelamento a centrais sindicais pelegas que tanto atrapalham a vida, os direitos e as conquistas dos trabalhadores.

Assim como a absoluta maioria dos servidores públicos, não aceitamos esse golpe, muito menos as calúnias e acusações sem provas que a chapa da atual diretoria vem fazendo numa atitude sórdida típica daqueles que preferem perder o apoio de toda a categoria para usar o sindicato para promoção de seus egos e projetos político-partidários eleitorais.

Se houve algum erro nas eleições, a responsabilidade é daqueles que controlaram todo o processo eleitoral, conduzindo-o de forma antidemocrática e sem transparência.

É bom lembrar que durante a eleição e também na apuração dos votos, o atual presidente e a CUT reafirmaram a legitimidade do processo eleitoral e a vitória da CHAPA 2, mas, após levarem um puxão de orelha do prefeito por terem perdido as eleições (conforme indica matéria do DGAC de 21 de outubro), manobraram para anular o pleito e mais uma vez passar por cima da vontade dos trabalhadores.

Sabemos que a categoria mais do que nunca rechaça a chapa 1 por suas manobras e por representar os interesses do Marinho dentro do Sindserv, e que até vários trabalhadores que não votaram das últimas eleições apoiarão a Oposição Unificada em repúdio ao golpe descarado.

A categoria, que votou pela mudança, não se deixa enganar com as calúnias feitas pela chapa governista

Mais de 3 MIL servidores públicos assinaram o abaixo-assinado reconhecendo a legitimidade da eleição da CHAPA 2 – OPOSIÇÃO UNIFICADA – isso tudo em meio a uma intensa campanha de difamação promovida pela chapa derrotada, que dando continuidade ao golpismo tenta desqualificar a decisão dos trabalhadores e nos associar a supostos atos ilícitos que não poderiam ser praticados por quem não controlou o processo eleitoral.

A assembleia da comissão eleitoral, no último dia 27, mostrou que a categoria está disposta a dar o troco ao golpe da atual diretoria. A mobilização foi grande para impedir que a turma do Chagas controlasse todo o processo. O presidente do sindicato ficou com medo de contar os votos e acumular mais essa derrota, mas com a nossa presença em grande número, conseguimos que houvesse dois membros com direito a voto que não são ligados à atual diretoria e que estão dispostos a fazer uma eleição limpa.

A CHAPA 2 conta com o apoio de lutadores independentes de todo o país

No país todo há vários sindicatos e oposições que são contra sindicatos atrelados aos governos e partidos, e que lutam contra o domínio da CUT e outras centrais pelegas.

Não estamos sozinhos nesta luta: o empenho dos servidores públicos de SBC, a unidade com trabalhadores de outros setores e o apoio de sindicatos combativos e independentes de governos é essencial para que seja possível derrotar a CUT!

A CSP-Conlutas e a Intersindical – Central da Classe Trabalhadora apoiam a CHAPA 2 porque são centrais sindicais comprometidas com os interesses dos trabalhadores e são independentes de governos. Temos orgulho de sermos apoiados por lutadores independentes, honestos e experientes na luta contra a máquina governista.  Já a CUT, que apoia a chapa da atual diretoria, é a central do Marinho. O prefeito e carrasco dos servidores em SBC foi presidente da CUT recentemente e, segundo matéria publicada no DGABC, foi quem “orientou de maneira incisiva (…) Giovani Chagas (PT), a tentar reverter a derrota na eleição” do Sindserv.

Precisamos ir às urnas novamente e derrotar mais uma vez a governista chapa 1 e dar um basta às interferências do prefeito no nosso sindicato!

PROPOSTAS DA CHAPA 2 – OPOSIÇÃO UNIFICADA

Uma direção sindical não deve se portar como dona e mandatária do sindicato, mas sim assumir sua função de representar e organizar os servidores públicos, que devem ter o controle e a decisão sobre os rumos do Sindserv.

Neste sentido nossas propostas sustentam-se em dois grandes eixos: 1. Democratização do sindicato/ horizontalização da estrutura sindical; 2. Lutas econômicas/ valorização profissional e melhoria das condições estruturais e de relações de trabalho.

Conheça nossas propostas e nossos integrantes acessando o BLOG da CHAPA 2:

https://oposicaounificadachapa2.wordpress.com/programa/

https://oposicaounificadachapa2.wordpress.com/composicao-da-chapa-2/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s