Aos insubordinados, com orgulho

Que sejamos todos chamados

de mentalmente confusos

por não aceitarmos calados

os atos antidemocráticos

e os golpes contra a população

feitos pelo governo de plantão

que impõe pela força e pela divisão

os seus projetos sujos

de privatização e partidarização

da educação.

Sejamos todos saudáveis

e mentalmente confusos

contra a idiotia

dos que em plena luz do dia

traem os seus pares

e jogam aos ares

os nossos direitos,

conquistas,

– a democracia! –

em troca de alguns trocados,

centavos

ou cargos comissionados.

Que sejamos todos chamados

– quem se importa? –

de mentalmente confusos

se contra a ditadura

– quem atura? –

da pseudo-esquerda torta

fazemos oposição

e permanecemos mobilizados

mesmo tendo no sindicato

uma omissa e pelega direção

cúmplice da administração.

Desafios às leis da física (ou quando a falta de ética supera as leis da natureza)

Reza a lei da física que dois corpos não ocupam o mesmo lugar no espaço; igualmente, também segundo a lei da física, um corpo não ocupa dois espaços ao mesmo tempo (a menos que esses dois espaços sejam transformados em um só, segundo critérios sócio-antropológicos e culturais).

Mas, no estado de “confusão mental” reinante nessa província, tudo é possível.

Talvez esse estado de delírio $IMcrético de alguns colegas – não todos, somente alguns mesmo – justifique as calúnias que algumas pessoas produzem e outras desavisadas reproduzem a respeito de nós, que mantemos a defesa da educação pública gratuita, apartidária, autônoma e de qualidade e, ainda, por respeito a princípios educativos e políticos, continuamos na defesa de que todos os trabalhadores em educação devam ser reconhecidos e valorizados enquanto educadores que são.

E engana-se quem pensa que a aprovação do estatuto sujo acabou com essa nossa luta. Muito pelo contrário!!! O golpe do governo e seus $IMpatizantes contra a educação e contra os direitos dos trabalhadores apenas reforçou a necessidade de continuar lutando, e com muito mais intensidade.

Mas, como esse não é um post/ artigo sobre o estatuto sujo exclusivamente, voltemos à questão inicial: as leis da física! Retomei inicialmente a questão da ocupação do espaço físico, lembrando que se dois corpos não ocupam o mesmo lugar no espaço, também um corpo não ocupa dois lugares ao mesmo tempo. Isso materialmente falando, porque há quem afirme que $IM, por fé ou por “confusão mental”(para usar de uma expressão que – acreditem! – entrará para a história como uma das pérolas que terá o peso de afundar ainda mais no marinho mar de lama os marinheiros que perderam o rumo da navegação).

Pois bem, qual não foi minha surpresa quando, nesta quinta, uma amiga professora chegou na escola dizendo que, na outra escola em que trabalha, uma colega sua afirmou q disseram que eu estava fazendo “o maior barraco” no cenforpe, na quinta-feira, 12/12, tentando ocupar o palco onde estaria certa figura pública.

Seria esta a prova definitiva de que – $IM! – vivemos sob o pós-modernismo e de que – $IM – as leis da física foram final e comprovadamente desvalidadas?!

Ou seria mais um calunioso delírio $IMcrético de quem tenta, por todos os meios (inclusive desafiando as leis da física!), desqualificar os trabalhadores e sua luta em defesa da educação e da valorização de todos os que atuam nas escolas?

Fiquei tentando entender por qual razão alguém iria querer ocupar o palco onde estaria (não estava!) a certa figura pública, mas confesso que também fiquei perplexo (e de certa forma achei muito hilário!) ao ser informado de q esta pessoa teria sido eu mesmo, q naquele dia nem lá estava!

Mistééééério? Nem um pouco!!!