Denúncia na Educação!

 Do Blog Fórum da Educação SBC:

quarta-feira, 20 de novembro de 2013

DENÚNCIA NA EDUCAÇÃO!

Acabamos de receber a seguinte denúncia, por e-mail:

“Olá

Fiquei sabendo ontem à noite que a Secretaria de Educação chamou/convocou o pessoal do Tempo de Escola para ir na votação da Câmara amanhã. Vc já devem saber, mas achei importante avisar, apesar de que a pessoa do programa que me contou ter pedido sigilo, pois ela tem medo de represália. Eles estão juntando pessoal que nada tem haver com o estatuto para aumentar o número de pessoas a favor. Acredito tb que no abaixo-assinado feito pela SE tenha nomes de pessoas que não tem nada a ver com a votação. Não tem como checar?”
*
Temos visto como o governo e seus marinheiros não medem esforços para impor o seu estatuto; esta será somente mais uma das tantas ações golpistas e autoritárias para concretizar o desmonte da educação pública municipal e acabar com os direitos dos trabalhadores! Não passarão!!!

Posts sobre as ações golpistas e o estatuto idem…

171

Sabe o nome q se dá a quem faz alguém assinar um documento para uma finalidade e utiliza para outra? O código penal sabe: estelionatário.

333

O pior é ouvir a cantilena : “respeitem a minha opinião”… Como se estivessem tratando de cor, sapato, time de futebol, ou qualquer outra coisa fútil. E pior é tb ouvir a cantilena: “não deixe de ser minha amiga por questões políticas”… Como se fosse possível ser amigo de gente corrupta…

Gente q não respeita a democracia, q não respeita os trabalhadores e pede respeito ao seu desrespeito…. Ou seja, gente q não se dá ao respeito… Kkkkkk só rindo mesmo!!!! Tipo assim: perdoa-me por te traíres! Perdoo não. Quero mais é q se futrique…

Cabo eleitoral

Vcs já pararam para pensar pq a proposta do governo determina 4 anos para o exercício da função gratificada, permitindo a recondução por mais 4? Coincidência? Número cabalístico? Número da sorte?

Esqueçam o que escrevi

Quando acabou com os programas educacionais e realizou concurso para coordenador pedagógico, o argumento (correto) da adm era de que as funções gratificadas descaracterizavam o exercício do magistério e afastava o professor da sala de aula, causando faltas de professores no trabalho direto com crianças. Agora o governo, à lá FHC, reedita o “esqueça o q escrevi”. Quem vai substituir os professores afastados, se o governo tb se recusa a criar um quadro de professores substitutos concursados?

Cavalo de Tróia

Um plano de carreira q não valoriza o tempo de serviço (até o estatuto atual valoriza) e que, assim, despreza a experiência profissional como se tempo de efetivo exercício não significasse nada (tanto faz ter um dia ou trinta anos de serviço?), como se os trabalhadores, em sua pratica cotidiana, não construíssem conhecimentos e saberes necessários e fundamentais à qualidade de seu trabalho: definitivamente, isso não é valorização.

Um plano de carreira cujos critérios de evolução, além de impraticáveis, revelam concepções retrógradas a respeito da formação, tratando-a com prazo de validade ao estabelecer limite de tempo para apresentação de certificados, como se conhecimento não fosse cumulativo: definitivamente, isso não é valorização.

Para receber mais o professor será obrigado a concorrer uterinamente (a palavra é essa mesma) à função gratificada e assim afastar-se da sala de aula e submeter-se aos caprichos dos governos de plantão: definitivamente, isso não é valorização do professor.