"Sinto-me nascido a cada momento para a eterna novidade do mundo" (Fernando Pessoa)

Últimas

SOBRE AS ELEIÇÕES DO SINDSERV SBC

Há exatamente um ano iniciou-se essa batalha que se tornou uma jornada estressante e por muitas vezes dolorosa. 
Vejo pessoas dizerem que estão cansadas, e me pergunto se nós, que estamos na linha de frente desta luta, também não temos o direito de nos cansar, de jogar a toalha como alguns dizem querer jogar. 
Então volto para os motivos que nos levaram a entrar nisso tudo – a necessidade de termos uma ferramenta a serviço dos servidores públicos, livre da influência dos governos de plantão – e percebo que temos sim o direito de nos cansar e até de querer jogar a toalha (afinal, se se cansam aqueles que atuam quase como expectadores, imagina como não cansam aqueles que, como nós, estão dando a cara a tapa?). 
Sim, temos a liberdade de escolher permanecer na luta ou entregar os pontos e, em protesto (!) contra os que praticam os golpes deixar tudo nas mãos deles, o que seria mais que uma contradição: seria um desastre. 
Somos livres para continuar lutando e quebrar as correntes e somos livres para dizer que estamos de saco cheio e manter as correntes. 
No entanto, não podemos e não devemos desistir, porque o que nos impulsiona não é o desejo do poder, mas sim o “poder fazer coletivamente”, as múltiplas possibilidades que serão construídas com um sindicato de fato nas mãos dos trabalhadores. 
Não é uma luta fácil – todos já sabemos disso! 
E tantas sacanagens ocorridas em três eleições só nos levam a uma certeza: há algo de muito podre e muito grave que estão a todo custo tentando esconder. Haveremos de desvelar! 
Haveremos de ter um sindicato a serviço dos trabalhadores! Este é foco e este foi o motivo pelo qual constituímos a OPOSIÇÃO UNIFICADA. 
Se o objetivo ainda não foi atingido mantém-se a necessidade da luta!

NÃO SE DEIXE ENGANAR! SAIBA A VERDADE SOBRE A 2240

Durante sua campanha, a chapa um divulgou ter ganhado na justiça ação a respeito da Lei 2240, que trata da progressão dos funcionários. Lamentavelmente, como tem sido de costume, a propaganda feita pela chapa governista induz os funcionários a acreditarem em inverdades. Vamos aos fatos!

 

A PROGRESSÃO NÃO É AUTOMÁTICA 

             A 2240 foi redigida em 1976 e apresentou três formas de benefício: uma para comissionados e duas para os demais servidores, sendo uma exclusiva de estatutários. Colocando em destaque as duas formas possíveis para todos os servidores não comissionados, avançar na carreira seria uma possibilidade que ocorreria a cada dois anos para a progressão e para a promoção, alternadamente, dependendo de avaliação de desempenho a ser realizada pelas chefias imediatas.

 

A PROGRESSÃO NÃO É RETROATIVA

             Ninguém vai receber valores não pagos anteriormente. A justiça obrigou a prefeitura  implementar o sistema de avaliação, mas não concedeu o pagamento retroativo referente ao período em que a lei não foi aplicada, isso porque não houve avaliação de desempenho e os instrumentos de avaliação ainda não foram criados.

 

A PROGRESSÃO NÃO É IMEDIATA

             Implementar o sistema de avaliação não significa pagamento imediato, pois depende das chefias imediatas e da criação de instrumentos de avaliação, além de regulamentação dos prazos para que sejam feitas as avaliações e para que sejam pagas as progressões.

 

A PROGRESSÃO NÃO É PARA TODOS

              Aposentados não terão direito à progressão! Apenas os funcionários da ativa que atinjam determinados critérios (parte objetivos, parte subjetivos) concorrerão à progressão, começando com 50% dos servidores na primeira avaliação.

            Exemplo: numa unidade de trabalho com 10 servidores, apenas 05 terão direito à progressão a partir da avaliação da chefia imediata. Se não for bem avaliado por sua chefia imediata, o servidor pode ficar a vida toda sem nenhuma progressão.

.

A PROGRESSÃO NÃO É CONTÍNUA

            Após conseguir uma progressão, o servidor deixa de participar de uma avaliação, fazendo com que só tenha chance de nova avaliação 4 anos após aquela que o beneficiou. Quanto à promoção, nos anos alternados, depende de vagas à critério da administração.

 

VEJA COM SEUS PRÓPRIOS OLHOS

            Se depois de tudo isso ainda tiver dúvidas, entre você mesmo no site do Tribunal de Justiça de São Paulo e veja com seus próprios olhos: o número do processo é 0030506-33.2011.8.26.0564 e o site para consulta é http://www.tjsp.jus.br/.

.

ÚLTIMOS ESCLARECIMENTOS

            Mas se foi determinado prazo para a implementação, então é só esperar que essa avaliação começará em 2016, certo? Não necessariamente.

            A ação judicial que trouxe tanta visibilidade para a 2240 realmente foi julgada procedente para a avaliação. Mas se o município não aplicar a decisão, terá de pagar multa de R$ 1.000,00 (mil reais) por dia. Trinta mil reais por mês de multa, caso a avaliação não seja feita conforme a 2240.

            É uma vitória? Depende do ponto de vista.

            Não é possível afirmar que o município se negará a cumprir a ordem, mas a escolha é bem simples: pagar trinta mil reais por mês de multa ou aumentar a folha de pagamento em mais de um milhão de reais por mês. E lembrem-se, a 2240 é uma lei municipal e pode ser revogada a qualquer momento.

            De qualquer forma, a determinação para que a prefeitura implemente a 2240 é uma vitória no judiciário. Uma vitória no campo do direito. Mas ainda está longe de ser uma vitória para os servidores.

       Estão vendendo como vitória do funcionalismo a possibilidade de boa vontade da administração em abrir mão de recursos para aplicar uma avaliação que dará progressão para uma parte dos funcionários.

            A vitória da total incerteza, apresentada pela chapa um como a galinha dos ovos de ouro. Quem realmente tem responsabilidade e compromisso com os servidores, não faz como a chapa um, que diz inverdades, omite e distorce informações para tentar ganhar votos a todo custo!

A CHAPA 2 – OPOSIÇÃO UNIFICADA vai lutar para que a prefeitura concretize sim a 2240, e vai lutar para que as avaliações sejam feitas com base em critérios objetivos e justos, para que todos os funcionários tenham direito à progressão e não fiquem reféns da boa vontade de suas chefias imediatas!

 Conheça nossas propostas: 

https://pedralascada.org/2016/08/15/chapa-2-propostas-para-devolver-o-sindicato-aos-servidores/

CONHEÇA OS MEMBROS DA CHAPA 2 QUE VÃO DEVOLVER O SINDICATO PARA O CONTROLE DOS SERVIDORES

Dias 17 e 18 de agosto, vote

CHAPA 2 – OPOSIÇÃO UNIFICADA

https://oposicaounificadachapa2.wordpress.com/

oposicaounificada.sbc@gmail.com

whatsApp: 98660 3299

DENÚNCIA! PRIVILÉGIOS DO GOVERNO PARA A CHAPA UM

Na sexta-feira, tivemos informações extraoficiais de que os membros da CHAPA 1 ESTARIAM LIBERADOS PELO GOVERNO para fazer campanha nesta segunda e terça-feira, 15 e 16 de agosto. Aguardamos até a data de hoje para verificar a veracidade da informação, haja vista que O MESMO DIREITO NÃO FOI GARANTIDO À CHAPA 2. 

Conforme apurado, a liberação dos membros da chapa 1 de fato ocorreu, mediante ofício expedido em nome do Sindserv. O mais grave é que apesar da eleição encerrar na quinta-feira, a liberação foi concedida até a sexta-feira.

Mais uma vez, a chapa um faz uso do sindicato para FAVORECIMENTO PRÓPRIO, contando com o pronto atendimento do mesmo governo que se recusou a garantir a liberação dos servidores para votarem.
Conclamamos todos os servidores a manifestarem repúdio a mais essa manobra autoritária e contamos com o empenho de todos para dar um fim às trapaças da chapa marinheira e de seu governo de plantão.
DIVULGUE, APOIE E VOTE CHAPA 2 – OPOSIÇÃO UNIFICADA!

CHAPA 2: PROPOSTAS PARA DEVOLVER O SINDICATO AOS SERVIDORES

Lutaremos por…

DIREITO À MELHORIA DAS CONDIÇÕES ECONÔMICAS E DE TRABALHO

 Abono na aposentadoria compensatório para o fundo de garantia;

  • Adicional noturno após as 18h;
  • Aposentadoria especial por periculosidade para GCMs e demais profissionais que exercem atividade de risco;
  • Concurso de acesso para os cargos de gestão e chefias;
  • Concurso público para recomposição do quadro de funcionários;
  • Contra o cargo largo, as funções gratificadas e cargos comissionados com altos salários;
  • Contra o desrespeito à Lei do Piso, efetivado pela administração ao determinar que professores em horário de HTP substituam ausências;
  • Contra o desvio de função e a sobrecarga de trabalho;
  • Efetivação da aposentadoria especial para todos os profissionais do quadro do magistério;
  • Elevação do piso salarial do funcionalismo;
  • Equiparação salarial efetiva, com estabelecimento de mecanismo que garanta a manutenção da equiparação;
  • Fim da terceirização e pelo reaproveitamento do quadro de profissionais terceirizados por meio de concurso que valorize o tempo de serviço prestado ao município de SBC;
  • Gratificação por insalubridade aos servidores que atuam em serviços mental e fisicamente desgastantes;
  • Gratificação por local de exercício para TODOS os servidores que atuam em áreas distantes do centro e em áreas de risco;
  • Implementação de programa de incentivo à dedicação exclusiva;
  • Implementação do PCCS-SUS;
  • Inclusão de todos os trabalhadores nos acordos coletivos;
  • Isonomia de direitos entre celetistas, estatutários e terceirizados;
  • Programa de recuperação das perdas salariais e reposição do poder aquisitivo dos servidores públicos; contra a PLP 257/2016!
  • Programa de reestruturação dos próprios públicos e reposição de instrumentos de trabalho (ferramentas, mobiliários, equipamentos de proteção individual, automóveis, materiais etc) que garanta com equidade condições dignas e saudáveis de trabalho para todos os servidores e de atendimento aos munícipes!
  • Quantidade adequada de profissionais em cada local de trabalho;
  • Reajuste anual dos vencimentos;
  • Redução da jornada de trabalho para os profissionais da saúde, auxiliares em educação e demais trabalhadores;
  • Regulamentação das horas-extras;
  • Regulamentação para cumprimento e fruição de banco de horas;
  • Respeito à composição da jornada de trabalho dos servidores;
  • Retomada da proposta de estatuto dos profissionais da educação construída pelos trabalhadores, adequando-os às necessidades atuais e novas demandas;
  • Revisão do acordo coletivo de 2015, buscando a inclusão dos cerca de 200 aposentados que foram esquecidos pela atual direção;
  • Revisão do estatuto da GCM;
  • Transporte gratuito, ou reembolso no valor equivalente ao que é gasto, ao servidor que em função do serviço tenha de se locomover de sua unidade de lotação;
  • Vale-transporte integral e vale alimentação a todos os servidores, com revisão de valores.

 

DIREITO AO RECONHECIMENTO E À VALORIZAÇÃO

 Folga pela comemoração do dia referente ao profissional e/ou segmento;

  • Formação continuada em serviço para todos os servidores, com jornada formativa para todos os servidores, buscando o aperfeiçoamento dos conhecimentos específicos e gerais necessários ao exercício da função, qualificação profissional e à melhoria do serviço público.
  • Recesso escolar para todos os profissionais que atuam na educação (inclusive professores, funcionários readaptados, auxiliares de limpeza etc).
  • Por um plano de carreira, cargos e salários com critérios justos e objetivos e sem funil, que possibilite evolução remuneratória, aperfeiçoamento profissional e formação continuada a todos os servidores públicos!

 

DIREITO À SAÚDE, AO BEM-ESTAR, À DIGNIDADE E SEGURANÇA

  • GCM em todas as unidades de trabalho;
  • Atendimento no ABC aos usuários do IMASF/Greenline;
  • Aumento da contribuição patronal de 4% para 6% na assistência médica;
  • Contra o assédio moral! Efetivar ações formativas e mediações, sem prejuízo das medidas cabíveis (administrativas e jurídicas) junto à prefeitura.
  • Dar suporte à COMISSÃO DE USUÁRIOS DO IMASF na luta pela CPI do IMASF e recuperação dos 65 milhões desviados para que sejam investidos em melhorias à assistência médica do servidor;
  • Hospital do Servidor Público Municipal, no prédio construído pelo IMASF;
  • Manutenção de convênios e projetos do sindicato que beneficiem os associados;
  • Por uma SBCPREV voltada aos interesses previdenciários dos servidores e sob controle dos próprios;
  • PROGRAMA DE ATENÇÃO À SAÚDE DO SERVIDOR, para combate e prevenção às doenças e acidentes ocorridos em função do serviço, com ações tais como:

– acompanhamento psicológico periódico aos servidores públicos que, pela natureza da função, lidem com situações de estresse e conflitos, como profissionais da educação e GCMs;

– sessões fonoaudiológicas e atividades de prevenção a doenças da voz para os profissionais que fazem uso da voz como um dos principais instrumentos de trabalho.

  • Recredenciamento de médicos e hospitais que foram desvinculados do IMASF;
  • Regulamentação das saídas médicas;
  • Retomada do IMASF sob controle dos servidores;
  • Revisão e ressarcimento do aumento abusivo das mensalidades do IMASF.

 

DIREITO À MORADIA

 Em parceria com outras entidades, elaborar e lutar pela implementação de um projeto habitacional exclusivo para os servidores públicos;

  • Lutar pela continuidade e ampliação dos programas habitacionais já existentes.

 

DIREITO A UMA DIREÇÃO DE SINDICATO QUE REPRESENTE OS INTERESSES COLETIVOS, SEM RABO PRESO E QUE LUTE PELOS DIREITOS DE TODOS OS SERVIDORES!

 Organização dos servidores contra o desmonte do serviço público e contra a retirada de direitos;

  • Realização do CONGRESSO DOS SERVIDORES para mudanças no estatuto do sindicato, com os seguintes indicativos:

– deliberação sobre central sindical – entendemos que uma central sindical deve ser livre de patrões e governos;

– deliberação sobre o imposto sindical;

–  horizontalização da direção do sindicato, na forma de direção colegiada;

–  reestruturação do Conselho Fiscal (propomos que ele seja não seja eleito na mesma chapa que a diretoria executiva, porque quem fiscaliza movimentação financeira do sindicato deve ter o mínimo de independência em relação à diretoria);

– reestruturação do Conselho Consultivo e implementação de conselho de representantes por unidade e/ou setor;

  • Acompanhamento e apoio aos servidores nos processos de remoção e movimentação, atuando contra as arbitrariedades impostas pelo governo;
  • Acompanhamento efetivo das ações das secretarias, autarquias e fundações com intervenções antecipadas do sindicato para evitar prejuízos aos servidores e, acima, de tudo, garantir a manutenção de direitos;
  • Agilização dos processos em andamento destravar os processos parados, mantendo permanentemente informados a categoria e os servidores diretamente interessados;
  • Atendimento jurídico no local de serviço, com visitas programadas para atendimento aos servidores;
  • Campanha permanente de filiação, com agilidade e transparência nos encaminhamentos;
  • Capacitação e atuação junto aos representantes da CIPA para melhorias das condições e prevenções a acidades de trabalho;
  • Implementação de cursos de formação sindical destinados a todos os servidores interessados, buscando aperfeiçoar os conhecimentos que favoreçam o desenvolvimento da consciência de classe e a participação crítica e ativa na vida sindical;
  • Organização de atividades festivas, culturais e de lazer buscando integrar todos os servidores – aposentados e em exercício;
  • Publicidade, nos meios de comunicação do sindicato, de todos os documentos, números de processos e informações de interesse dos servidores;
  • Reorganização do horário de funcionamento do sindicato, para ampliar as possibilidades de horários de atendimento aos servidores.

 

DIREITO  À DEMOCRACIA, À PLURALIDADE E À PARTICIPAÇÃO

 Garantir o direito de manifestação de pensamento e crítica de todos os servidores nos meios de comunicação do Sindicato;

  • Participação efetiva dos conselhos na gestão da entidade;
  • Constituição dos comitês de base com representantes eleitos democraticamente em assembleia,e não indicados pela direção, como ocorreu na gestão atual;
  • Autonomia de atuação dos comitês de base em parceria com a direção do sindicato para organizar as lutas específicas dos setores;
  • Preparação e planejamento da campanha salarial junto aos servidores, construindo a pauta de reivindicações de forma participativa e democrática, e buscando intervir na LDO.
  • Que os meios de comunicação do sindicato deixem de ser usados pela direção como instrumentos de assédio moral contra trabalhadores!
  • Todas as decisões que dizem respeito ao conjunto dos servidores serão submetidas às instâncias deliberativas (assembleias setoriais ou gerais, conforme cada caso).

 

DIREITO À GESTÃO RESPONSÁVEL DOS RECURSOS E À TRANSPARÊNCIA

 Gestão financeira democrática, com a participação e acompanhamento efetivo dos membros do Conselho Fiscal;

  • Publicidade do patrimônio e contratos;
  • Publicidade periódica dos gastos da entidade nos meios de comunicação do sindicato;
  • Ampla divulgação de assembleias para prestação de contas, a serem realizadas em dias e horários que possibilitem a maior participação dos filiados, e não na “calada da noite”! Afinal, quem não deve não teme.

 

DIREITO À INDEPENDÊNCIA E AUTONOMIA SINDICAL E A NÃO SER SOBRETAXADO

 Adesão à campanha nacional contra o imposto sindical;

  • Debater de forma ampla e participativa, e deliberar em assembleia, a desfiliação CUT;
  • Que a categoria decida sobre a devolução da parte do imposto sindical que é destinada ao SINDSERV.

 

 

CHAPA 2

OPOSIÇÃO UNIFICADA

 

ALTERNATIVA DEMOCRÁTICA

“NADA SERÁ COMO ANTES”

 

 

https://oposicaounificadachapa2.wordpress.com/

oposicaounificada.sbc@gmail.com

A GREVE DE 2015 E OS ACORDOS DE GABINETE

“NEGOCIAÇÃO”…

A negociação realizada pela direção/chapa um trouxe grandes prejuízos aos servidores públicos: ficamos sem aumento real e sem reposição da inflação em 2015 e cerca de 200 aposentados foram excluídos do acordo coletivo, perdendo até mesmo o direito ao abono de Natal que sempre tiveram.

No meio da greve a pauta de reivindicação foi simplesmente descartada pela direção sem qualquer consulta aos trabalhadores. O reajuste efetuado em 2016 – fruto da pressão realizada pelos servidores grevistas – não cobriu as perdas salariais acumuladas em anos sem aumento real; o poder de compra dos servidores diminui a cada dia, consumido pela inflação, pelos altos impostos e pelas altas tarifas de água, luz e transporte.

Para os servidores grevistas, a péssima negociação feita pela direção acarretou em descontos que, na maioria dos casos, foram maiores do que o abono recebido. Não bastasse tudo isso, a direção  negociou com Marinho para que os grevistas ficassem com faltas mesmo tendo compensado os dias parados!

2015-06-01 10.58.06

Servidores indignados com a má negociação da direção do sindicato

… OU AÇÃO ENTRE AMIGOS?

Quando trabalhadores reivindicaram a eleição em assembleia de uma comissão para participar das negociações junto com a direção do sindicato, esta, de forma intransigente e autoritária não permitiu nem que apresentassem a proposta ao microfone, mas incluiu nas reuniões de negociação representantes do Sindicato dos Metalúrgicos e do Sindicato dos Químicosambos, assim como Chagas, do mesmo partido do prefeito, o PT.

Talvez isso explique o esforço descomunal da direção marinheira em evitar que os trabalhadores fossem aos eventos de inaugurações onde Marinho estava…

 

FURA-GREVE

Fato revoltante que muitos não sabem, enquanto os servidores grevistas bravamente resistiram às inúmeras pressões e arcaram com os prejuízos acarretados pelas faltas e pelos descontos (muitos até perdendo o direito ao descanso no recesso escolar)  nos últimos dias da greve o presidente do sindicato deixou seu posto para voltar ao trabalho! Vestiu a farda e foi fazer um cursinho para ascensão na carreira e se tornar supervisor da guarda.

Tal fato não é nenhuma ilegalidade, mas convenhamos! Uma direção de sindicato tem de ser a primeira a dar o exemplo na luta! Não pode querer convencer os trabalhadores a fazerem greve se nem ela mesmo cumpre a greve aprovada em assembleia!

POR UMA DIREÇÃO DEMOCRÁTICA, QUE RESPEITE E CUMPRA AS DECISÕES DAS ASSEMBLEIAS!

VOTE CHAPA 2 – OPOSIÇÃO UNIFICADA!

SABÃO E ESPELHO NÃO FAZEM MAL A NINGUÉM

Não está sendo fácil ser alvo de calúnias e difamações feitas por pessoas que para se manter no aparato e continuar servindo aos interesses do governo do qual fazem parte, inventam mentiras  tentando depreciar a imagem profissional de um servidor que, em última instância, é colega de trabalho delas.

Ora, é assim, enganando os trabalhadores com calúnias a respeito dos adversários que elas querem continuar na direção do sindicato?

No fundo, no fundo tenho pena dessas pessoas, porque encenam um triste papel que só expõe ainda mais o lamaçal no qual se meteram, e fica claro que por trás de atitudes destrambelhadas e desesperadas há um pavor em deixar de ser direção. E pelas informações que chegam há motivos mesmo para que se desesperem…

Neste turbilhão todo, o que me faz prosseguir ainda mais tranquilo é ter a consciência de que estamos fazendo a disputa apresentando as críticas e as propostas mantendo a dignidade, sem nos rebaixar a esse vale-tudo que ao final das contas revela mais a respeito de quem o pratica do que de quem é alvo dele.

Independente do resultado da eleição (o qual estou confiante de que reafirmará o desejo de mudança da nossa categoria efetivado na primeira eleição e usurpado pelos golpistas tanto na primeira como na segunda), continuarei olhando olho no olho das pessoas com a certeza de que não ludibriamos ninguém, não abusamos da boa-fé das pessoas, não distorcemos fatos nem caluniamos colegas de trabalho, afinal, como diz o ditado, responder à ofensa com ofensa é o mesmo que lavar a alma com lama.

Não fazemos nada disso porque não é do nosso feitio, não é do nosso caráter, e porque nos propomos a ser representantes destas pessoas também, gostemos ou não delas, concordemos ou não com suas posições políticas e seus desvios de caráter. À frente da direção do sindicato, as representaremos com a mesma isenção e empenho que nos propomos a representar todos os servidores, sem distinção, e elas (com a gentileza de antes lavarem suas bocas sujas com sabão, ou de se olharem no espelho antes de nos acusarem daquilo que elas mesmas fazem)  terão a liberdade que nos tiraram de expressar suas opiniões na rede social do sindicato.

O que também me deixa tranquilo é ter a consciência limpa, pois a despeito das mentiras e das calúnias feitas incessantemente por alguns membros da chapa marinheira (e que são levianamente reproduzidas por pessoas que talvez por ingenuidade acabam acreditando), quem trabalhou ou trabalha comigo sabe bem do cuidado e respeito que tenho com os colegas de trabalho, independente de cargo, função, idade, gênero, raça, religião ou opção política…

Incomoda sim – e muito – as mentiras que propagam, mas não me tiram o sono nem me animam a respondê-las uma por uma. Primeiro porque não tenho tempo nem energia a perder com falácias e picuinhas; segundo porque as pessoas precisam colocar em prática a capacidade de discernimento e a consciência crítica,  atitudes estas que não podem nunca sair de moda, mesmo que certas figuras – saudosas dos tempos sombrios – gostariam que nem existissem.

A CHAPA 2 tem um projeto de sindicato a ser construído junto com os servidores, e tem programa, propostas e princípios para que o nosso sindicato deixe de ser um braço dos governos de plantão e sirva aos interesses da categoria. NENHUM DIREITO A MENOS, NENHUM TRABALHADOR FORA! Este é o foco! E é com este espírito de mudança que continuamos firmes na luta!

Marcelo Siqueira

CHAPA 2 – OPOSIÇÃO UNIFICADA

Flor de Lis

Narrativas e outras enrolações

Pedra Lascada

"Sinto-me nascido a cada momento para a eterna novidade do mundo" (Fernando Pessoa)

EMEB JOSÉ LUIZ JUCÁ

...::: Aprender, brincar e compartilhar :::...

euphonia violacea

Ave com capacidade metacognitiva. Em casa, poesia. Fora de casa, voa. Eventualmente se apropria de ninhos abandonados.

Blog da Boitempo

Aqui você pode encontrar informações dos livros e eventos realizados pela editora Boitempo. E, principalmente, pode interagir e ajudar na construção da editora que ousou ter uma cara e conquistou seu espaço produzindo livros de qualidade

Inferno Riscado a Giz

A CASA DO POETA TRÁGICO

E M A N C I P A Ç Ã O - ensaios de Filosofia Negativa

"Não há vida correta na falsa" (Theodor Adorno)